terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Uma coisa que eu acho legal é a liberdade de ser e de ter quem você quer e acha que te faz bem. Algumas pessoas, diferentes de mim, nomeiam esse ato como promíscuo. Todavia, mal sabem elas que não se trata de promiscuidade, mas do simples fato de você usar, e muito bem usada, a sua liberdade de escolher com quem estar ou com quem ficar.
Não me refiro a sexo porque fazer ou não fazer sempre varia, mas me refiro a escolha. A escolha é sua, só você sabe aonde o sapato aperta, os ventos passam, sussuram na sua mente, mas continua lá no mesmo cantinho do cérebro: quem beijar, com quem ficar, com quem conversar, que tipo de amigos ter, quem levar para a sua casa e assim por diante...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Algumas coisas que mulher inteligente tem que saber




Um dia desses, embarquei para uma aventura inusitada. Viajei só para conhecer alguém em outro Estado, mas precisamente em Goiás, Goiânia. Tudo maravilhoso! Fui com o bofe até Caldas Novas, na verdade relaxei, águas termais, uma visão maravilhosa! Mas como tudo na vida acaba...Um dia a viagem acabou e ao retornar no aeroporto de Brasília, entrei em uma livraria e  comprei alguns romances e, um de auto-ajuda.
É minha gente, comprei isso mesmo, um livro de auto-ajuda.
O título é “Homens gostam de mulheres que gostam de si mesma”, dos autores Steven Carter e Julia Sokol. Quando li, e até hoje discordo com algumas posições do livro. Mas esse não é o caso agora.
O importante que dessas coisas, ainda podemos tirar algum proveito.
E eu, sempre solicita, resolvi posta algumas coisas que mulheres inteligentes tem que pensas, aí vão as dicas:
A mulher inteligente sabe que...
Assim como as histórias de horror, as histórias de família são divertidas quando contadas num grupo de amigos. No entanto, elas podem ser afugentadoras quando você conta um homem que mal conhece.
A mulher inteligente sabe que...
Homens gostam de mulheres que não ficam obcecadas por eles.
A mulher inteligente sabe que durante um eencontro:
Quando uma mulher se esforça demais, alguns homens ficam confusos;
Quando uma mulher se esforça demais, alguns homens ficam apavorados;
Quando uma mulher se esforça demais, alguns homens ficam gulosos;
Quando uma mulher se esforça demais, alguns homens ficam mimados;
Quando uma mulher se esforça demais, alguns homens se mandam.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Conhecer...e valorizar!

Engraçado essa coisa de amizade, de conhecer as pessoas, porque na vida tudo é relativo, você conhece alguém aqui, alguém ali, para algumas você se entrega, para outras não, e é assim que vai nascer uma amizade...
Falo isso porque me lembrei da mapleise contando outro dia como foi que nos conhecemos, risos...E penso, porque dessa coisa de se desligar quando na verdade deveríamos dar importância a tudo o que temos na vida: ao dia que está chovendo e que faz minha tarde ficar fria, gostosa, com gosto de saudade.
Ao batepapo com o amigo que me trouxe novas descobertas, que me contou novidades, que está vivo, que está bem de saúde, que tem família...
Ao amor, que vai e vem, mas que continua dentro de mim, mesmo que distante, mesmo que tão próximo...
E ai me lembrei novamente:
Eu entrei na redação, tu estavas no teu computador, olhou pra mim e disse: ah é a nova funcionária!! e voltastes a redigir a matéria...
E é verdade, no trabalho sempre fui 'away' quando se tratava de visitas ou gente nova na redação, pensava mais em acabar o material e entregar, para ir para casa, ou ir para orla, tanto faz!! o trabalho deveria ficar pronto, que acabava me esquecendo de fazer as honras da casa, como diz 'Minha Paixão', sou sempre solícita e com a carreira de dentes pronta para um sorriso...
Coisa sem nexo, mas que acabou se tornando verdadeira. Sei que eu e mapleise temos ainda muitas coisas para aprender, e ainda bem que temos, é sinal que ainda há muito chão pela frente, mas espero que a gente consiga dar valor a cada momento, a cada fato...como ele merece.

Viver a Vida à moda tucuju

Engraçado, olhando a cena desta segunda-feira, da novela Viver a Vida, em que os atores Rodrigo Hilbert e Bárbara Paz pulam de asa deltas e sobrevoam o Rio de Janeiro, cidade super-maravilhosa, me lembrei de um acontecimento, de um fato - digamos assim, histórico da minha vida, coisas que prometi a mim mesma depois da perda de uma pessoinha importante, que eu nunca mais deixaria de fazer...
Lembrei que aqui pela terrinha, eu e mapleise aproveitamos, saboreamos situações que não perdem das cenas vistas por mim ontem. A gente sabe viver a vida mesmoooo...e exemplo disso, foi quando uma bela madrugada de sexta para sábado após sair do nosso canto da reunião encontramos um trio de conhecidos da Faculdade. Trio charmoso, inteligente, e bonssss de conversa, divertidíssimos, e após quase duas horas de conversa, acabamos tendo que ir embora, expulsos pelo dono do bar, expulsos pelo novo dia que estava chegando.
Na ida para o estacionamento, nos perdemos do trio, em face de um encontro inoportuno (que poderá vir a ser tema de um próximo post), e na procura pelos três acabamos encontrando só um. Meu professor e ex-professor dela, cara super-doido, super-gênio, super-simpático, super-engraçado, enfim, super-inteligente, a quem resolvemos dar carona - pois "quem ama cuida" - o que significa dizer que não íamos deixá-lo na orla sozinho...
E conversa vai, conversa vem, me deu a louca na cabeça quando vi que o sol se preparava para nascer, e o rio loucamente se batia no muro de arrimo, me lembrando meus tempos de Quebra-mar. De súbito, dei a volta, e fui pra perto com meu carrinho velho camarada, e ele, louco disse: Vamos descer...!!!!
Bem, eu e mapleise, sempre pensando antes de fazer, ainda ficamos paradas no carro, mas, sabe aquele momento em que te vem na cabeça que tudo podes fazer desde que não seja matar e roubar??? Ai, eu fui, ela foi, e ele....ah ele já estava lá, na beira do muro, chamando o rio para si mesmo...se molhando todo, super divertido!!!
Eu e mapleise queríamos e não queríamos, powww, ia molhar meu carro, os bancos, trabalho pra mim depois na hora de limpar...rs, mas com tanta água vindo em nossa direção, o sol nascendo lá na frente...música tocando nos outros carros, eu não podia perder essa chance, tinha que viver o momento, e com amigos então, ai que a história seria showww...
E foi assim, das cinco horas da manhã até as sete e quinze, quando depois de levar várias ondas no corpo, nos sentimos os mais completos na vida, os mais perfeitos, os mais corajosos, e principalmente, os mais sóbrios...rsrrsrsrsrsrsrs
A história poderia ter sido outra naquela madrugada, naquela alternância de dias, confluência de rios - afinal, o Amazonas já chega misturado por aqui...rs, e assim foi o nosso dia 'viver a vida'...
Hoje, a gente recorda o dia, e pensa, se ainda vamos fazer isso outro dia desses??? Não há respostas para nada nessa vida, além daquilo que a gente consegue fazer, viver, realizar para contar. A gente costuma dizer sim sempre para as coisas boas, mas a incerteza é fator que nos acompanha quando se trata de futuro...
Minha mãe chegou a me chamar de doida, me dar um puxão de orelhas, eu a amo por isso, mas gente...nunca perderei a chance de me divertir de forma saudável, por conta da obscuridão do futuro...
Então, vivamos a vida!! Enquanto é tempo!!!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Decida-se

Decida-se hoje a ser feliz;
Decida-se a prosperar;
Decida-se a amar
E assim será

domingo, 6 de dezembro de 2009

Saudades


Lembro dele sério e pensativo,
Lembro do seu sorriso
Lembro do silêncio
Silêncio que me matava
Ou silencio que me amava.
Quando ele queria falar
Se calava.
Quando se cala
Quer falar
Sua cabeça
Uma eterna interrogação
Seu coração
Sem noção
E eu desprezada
Queria apenas um pouco
Daquele olhar perdido
No tempo, no vento
E eu perdida
De saudade
De amor
De paixão.

* Àquela pessoa que ao rir aparece duas covinhas e fechas os olhos. Que não fala muito
Mas que ainda me pertuba.

Nunca se esmoreça
demais por uma amor.
Não vale a pena
Porque no final das contas
Ele vai achar que pode tudo.
E na realidade,
ele não pode tudo.
A única coisa que
um homem pode
verdadeiramente
É fazer feliz!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

A camisola



Mentiras sinceras me interessam!



E assim começo esse texto, com o refrão de Cazuza. Nada contra a verdade absoluta. Mas tem horas que uma mentirinha cai ou faz bem. Um dia desses sentada ao lado de um bofe escândalo, ele estava conversando com certa amiga no msn, esse amiga estava escrevendo tudo em caixa alta. Mas eu com a minha língua, disse: Ela não sabe que é falta de educação escrever em caixa alta? Ele me olhou, e  ia responder dizendo que a “minha namorada mandou te dizer que é falta de educação escrever em caixa alta”? Aí nesse mesma hora, em ação inesperada do meu inconsciente, deu um pulo (graças a  Deus ele não percebeu) e fiquei com os olhos sobressaltados pensado daquela palavra: “minha namorada”. 
Por que é assim, faz tanto tempo que estou solteira que até acho estranho quando falam desse jeito pra mim. Aí vocês me perguntam qual é a relação do texto com o título da matéria!
Muito simples meus caros: sei que não sou namorada dele, nem temos muitas coisas em comum, somente um bom sexo! Mas ele quis ser gentil! Por isso a minha surpresa! Na verdade ele tem uma boa lábia! Por isso cai nas garras do felino!
Lembrei de um passado não muito distante, que fiquei duas semanas com um bofe lindo, moreno alto, bonito e sensual. Entretanto nada além daquilo, pois tinha cérebro de galinha (bem pequenino). Logo no começo do romance já queria me controlar, tipo com que roupa eu vou. Quem são meus amigos e com o meu linguajar. Ora, pensei num “VAI SE FUDER” bem grande, perdi a paciência e mandei aquele cabra macho pastar!
Ainda não nasceu o homem que vai me controlar! E no dia que esse homem aparecer pode ter certeza que eu vou casar!
Não gosto de perseguição, isso me dá uma sensação de claustrofobia. Sempre gostei de muito vento no rosto, de olhar e apreciar as coisas boas da vida!
Mas vá entender cabeça de homem, quando a gente conhece alguém, troca o telefone aí pinta aquela dúvida se liga ou não. Se ligar é porque ta perseguindo, é porque ta querendo coisa séria e a ainda ficam contando suas vantagens por nós estarmos atrás deles para seus colegas. Coisas homem másculos, dez pontos negativos para macharada! Mas se a gente não liga, aí vem o drama, pois eles acham que somos desinteressadas (talvez em algumas situações). O que importa disso tudo é o resultado, porque na verdade o que tememos é a reação, então por isso preferimos sermos despercebidas.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Pedaços de nós 4

Não estamos falando do E.T de Vargínia, mas sim do ser humano. Contudo, não pasmem, pois existem as exceções, por estes lados também aparecem coisas do tipo guti-guti, que dá vontade de adotar e levar para casa, "cuidar", alimentar, ou seja, oferecer casa, comida e roupa lavada (pura mentira!)

Pedaços de nós 5
Não é fácil ser mulher, e ao mesmo tempo, ser adepta de prendas domésticas nesse mundo moderno...

Pedaços de nós
Mas, sempre tem um mais (rs), nem tudo é perfeito. Nada do que muito amor e carinho não resolva. Pois meu coração é igual ao coração de mãe, sempre tem lugar para mais um....

Pedaços de nós 3

E nessas amarguras que assistimos, imaginamos ou até ousamos ensinar, porque faz parte da nossa índole ensinar as leis de sobrevivência na selva...rs

Pedaços de nós 2

Mas não pensem que seja coisa de outro mundo, nananinanão...
É de outra região, pois nortista que é nortista conhece um ser estranho de longe assim a olho nú..., principalmente quando se depara com alguns tipos que teimam em comer camarão no bafo com garfo....

Pedaços de nós

Tem noites que saio de casa com uma vontade enorme de falar até que o mundo acabe, mas eis que de repente, vejo o que ainda não tinha visto por estas terras tucujus, e acabo em estado apreciativo e contemplativo...risos, afinal o que é bonito é para se olhar...

Experiência SIM, sexo NÃO!!

Adorei a frase, coisas de Eliakim, fiz uma pergunta tão simples e ele me veio com esta resposta ambígua. Bendita resposta ambígua, ela me inspirou a retornar e imaginar, porque homem - em geral - para livrar minha barra, pensa tanto em sexo, mesmo sabendo que isso chateia as mulheres???
Calma, calma, não me darei ao trabalho de responder, não sou psicóloga, psiquiatra ou consultora sexual, já andei dando umas lidas, e metade de minha farta curiosidade foi respondida...Eu entendo os pobrezinhos, afinal são duas cabeças...
Masssssssss voltando ao Eliakim....rs

Nossa conversa nada tem a ver com sexo, era simplesmente uma chamada de emprego na Starbyte...
Quem estiver afim, pode procura-lo, levando é claro um curriculum, porque ele já me disse que é tudo profissional, e de quebra, me cobrou pela frase...risos
Eu inspiro e ainda tenho que pagar...
Amigossssssss

Quando sei que realmente casei???

É terça-feira pessoal!!! Abrindo os trabalhos, ouvindo "Com que roupa eu vou?" Afinal, é o dia nacional do samba!!!



- Quadrada, foi assim que vi minha amiga-mapleise quando esta leu o tema de nossa convesra etílica.
Afinal, depois de duas semanas juntos, unidos, mesmo que escorregadios - estão ou não estão casados o casal de pombinhos?
Ela diz que não, mas tenho certeza que ele diria sim. Sim, ele diria sim, pios homem bom é aquele que não deixa uma mapleise escapar, risos.
Mapleise durona, então, é o melhor tipo que existe, pois sozinha ela sabe se virar. Mas, retornando ao tema em questão, quero lembrar que não existe casamento - a sagrada união entre um casal - sem padre, testemunhas, cerimônia, papéis, madrinhas.
O que existe sim, e de fato, é uma união - bem melhorada quando os pombinhos conseguem ultrapassar a dificuldade da segunda semana - criada pela intimidade, pelo fulgor da novidade, pelo prazer não só do sexo mas da companhia....ah, o novo amor!!!!
Definitivamente, e em poucas linhas - querida mapleise, o doutor galego te laçou....rs

Ai respondo ao título do post: Quando sei que realmente casei?
Quando falo no nome dele mais de duas vezes na mesma noite.
quando melhoro a voz ao ouvir o telefone tocar
quando não olho para os lados, pois olhar para os lados não vai me satisfazer hoje
e outras cositas más....rs

A diferença entre um homem corajoso e uma corajosa mulher


Sem a lua para cumprimentarmos decidimos fazer o teste do “quando a bebida entra a verdade sai”. Vamos ver no que vai dar os próximos capítulos.


Qual a diferença entre um homem e uma mulher?
Muitas! Se não vejamos: quando uma mulher vê aquele que ela acredita ser o homem da sua vida, o que ela faz?
De duas uma: finge que não vê e mete pelo menos 20 chifres sem ele saber, ou quebra-tudo e todos que estão no mesmo local em que estavam.
Na verdade nenhuma das soluções apresentadas acima resolve o problema, porque nós mulheres bem resolvidas temos que agir com certa “civilidade” em tudo, para que não nos tornemos nem tão más e nem tão boas.
Exatamente por isso que ser mulher é tão difícil. A necessidade de pesar os prós e os contras, de fazer tudo certo para que nada dê errado, e principalmente para que mais tarde a gente não se arrependa, é a principal fonte que guia.
Entretanto, como sempre somos solidárias e altruístas acabamos nos FUDENDO literalmente (desculpe a expressão!!). Choramos, gastamos metros de lencinhos, ficamos sensíveis. E no final das contas pensamos para que? Para uma ilusão ou invenção?
Entediada, nos enrolamos em lençóis de algodão e nos deliciamos com programas televisivos, ou então com aquele filminho básico que deixamos guardados na instante.
Enfim, o intuito do texto foi mostrar como somos e sempre seremos “MULHER MARAVILHA”, com ou sem dores levantamos e começamos uma nova fase. Aquela dor de dente travestida de chifre já era...dizemos adeus a dor de cotovelo, levantamos a cabeça, não perdemos a pose jamais!
Como diz o poeta: “dias melhores virão”. E, assim, segue a alma feminina, cheia de altos e baixos. Nada que dê uma história tipo “O Diário de Laura Palmer” ou então “Feliz Ano Velho.


 




quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Mapleise’s Clã


Uma noite de terça-feira, samba de raiz chegando ais nossos ouvidos. Temperadas, resolvermos traçar 20 pontos que caracterizam a verdadeira Mapleise. Otimistas, seguras e alegres, com muito vento no rosto e paciência chegamos as seguintes definições:
1-      Ser feliz;
2-      Nunca chorar por namorado, marido, amante ou qualquer animal parecido;
3-      Nunca ter medo de ousar;
4-      Ser independente;
5-      Ter iniciativa;]
6-      Respeitar o segredo máximo “O que se conversa na mesa de um bar, morre na mesa”;
7-      Dividir experiência de forma verbalizada – nunca na prática;
8-      Mapleise não negocia, Mapleise faz rolo;
9-      Rir sempre das coisas mais bobas da vida;
10-  Ter vivido e saboreado intensamente sua solteirice por pelo menos 1 ano;
11-  Não ter vergonha de ter pegado um porre histórico;
12-  Saber que seu melhor amigo só pode ser uma Mapleise, depois dela o garçom ta liberado;
13-  Ser guerreira. Beber a madrugada e ainda ter pique para trabalhar no dia seguinte;
14-  “Corpe Noctem”  -  reverenciar sempre a lua dizendo: A lua ta bonita hoje!
15-  Ter como deusa inspiradora para encantos noturnos a cabocla Mariana;
16-  Ter espírito solidário: “Quem ama cuida”;
17-  Gritar quando necessário; calar se mais necessário for;
18-  Adorar as 5ª feiras como se fossem as últimas da sua vida;
19-  Lembrar que sempre Toda informação é necessária; e
20-  Ter sempre um cartão de crédito na mão.

domingo, 22 de novembro de 2009

Muito Prazer...sou Mariana!



Em um dia inusitado... na orla de Macapá, com muita cerveja, papo bom e muita paquera. Ao sair eu e mais uma amiga (Mapleise) ficamos cantarolando no carro e, de repente, vimos uma situação estranha de um casal. Nós, como sempre apaixonada por jornalismo olhamos curiosas até que o senhor fizesse um sinal chamando a gente. Num momento chegamos a pensar que ele tava espancando a sua esposa. Mas ao nos aproximarmos, notamos que a mulher estava descontrolada. O rio amazonas estava revolto, parecia uma mar. A senhora gritava descontrolada.
- Ele está me chamando! ( Ela doida pra se jogar no Rio)
E Mapleise e eu usamos todas as forças do mundo para segurar a mulher, junto com o esposo que também estava envergonhado com a situação. Apareceu outro escudeiro, um rapaz (flanelinha) para ajudar coma nossa árdua missão.
E ela gritava...- Ele ta me chamando!
Logo depois ela mudou e falou que “Ela ta me chamando”.
Aí perguntei a senhora: quem está lhe chamando?
Ela responde: a Mariana!
Em um estalo, pensei rápido, olhei o rio feroz, a lua e pensei na situação e disse olhando pra ela: - A Mariana está muito chateada contigo!
Ela me olhou com piedade e me perguntou o porque?
E com a velocidade da minha criatividade respondi: Porque a senhora está bagunçada, Mariana é vaidosa...e quer que você se arrume. Veja como a senhora está: com os cabelos assanhados, com os seios saltando do vestido (ela estava usando um vestido estilo tubinho preto). Sabia que a senhora é bonita?  - Neste momento fui tentando colocar ela no banco de trás. Ela se revoltou mais uma vez! Mas consegui controla - lá.
Finalmente ela senta, o marido arranca com o carro e eu atrás tentando acalmar a mulher! Dizendo que os filhos estavam esperando por ela. Porém preocupada em saber o meu destino, que foi curto, mas bem rápido.
Chegamos à residência do casal, fui pro carro de Mapleise. Antes de entrar ela me abraçou e disse: Vou pedir que Mariana proteja vocês.
Saímos de lá feliz da vida por causa da boa ação. Gritamos pedindo para Deus nos proteger.
Outro dia, no mesmo local, em dia de Halloween, Mapleise e eu encontramos uns amigos na orla (sempre lá), bebemos conversamos literalmente sobre sexo, drogas e Rock Roll.  Flertamos uns gatinhos e terminamos na manhã de domingo, tomando banho no Rio Amazonas, somente com as forças das águas, que respingavam na gente, em pelo complexo do Araxá. Mapleise, eu e um professor e amigo muito louco, que foi tentar nadar e quase morreu. Saímos de alma lavada. Saímos com muitas risadas. Coisas sem nexo. Mas lembrado no dia que a MARIANA FICOU MUITO CHATEADA CONTIGO”!
E para acabar com a informalidade, apresentamos a cabocla Mariana que é uma encantadora entidade da Umbanda que noiva com os
homens e lhes consegue riqueza e prosperidade. Mas em troca exige
fidelidade absoluta para sempre.
E eu, como mera mortal, morro de inveja dos encantos da Mariana!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Amizade





A Amizade é um sentimento paralelo que tanto faz bem, quanto faz mal, porque com o tempo, a coisa vai ficando tão profunda que você esquece dos limites e avança para a transgressão...rs
Vendo essa tira me lembrei das nossas noites na orla, de ver a lua bonita, de sorrir cada vez que passa alguém bonito...de chamar a Mariana...de rir das coisas sem graça, sem nexo...sem sexo...
A

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Borboletas pra vocês


 
Certo dia, resolvi que iria fazer uma tatuagem, mas até o momento de faro se concretizar fiquei na dúvida com o que eu faria, pois afinal teria que ter um significado.  Entre várias mudanças que ocorreram em minha vida, resolvi então tatuar uma borboleta, pois tinha como significado de mutação, mudança e crescimento. Então no inicio de dezembro de 2008 tatuei três borboletinhas, linda e delicadas. O interessante dessa história foram alguns fatos que antecederam a tatuagem. Quando acordei, numa manhã de segunda-feira, simplesmente entrou uma enorme borboleta em meu quarto. O que fiz? Deixei ela enfeitar o meu dia. Aí fiz os afazeres domésticos, pois naquele dia estava de folga.
Então no inicio da tarde, fui marcar o meu corpo para toda a minha vida, chegando no tatuador, no qual fica em uma loja de bijouteria, escutei o barulho daquela aparelho, fiquei aflita, pois parecia aqueles motorzinho de dentista. Mas na loja tocava várias músicas, e minutos antes da decisão, tocou a música Borboletas da dupla sertaneja Victor e Léo. Chegou a minha vez, entrei e mostrei o desenho, e o Marcelo (tatuador) foi mito gentil comigo. Começou o processo, e a dor que pensei que iria sentir nunca tive, foi muito tranqüilo. E novamente, na rádio tocou Borboletas.
Outra música que adoro é a do Benito Di Paula, Proteção às Borboletas. Lembra-me da minha infância.
E neste final de semana, fui ao show de Victor e Léo, e quando eles tocaram Borboletas, fiquei super-emocionada. Gosta das coisas simples da vida, da natureza. E o que posso dá de presente pra vocês são borboletas!

Proteção às Borboletas
Benito Di Paula

Eu sou como a borboleta
Tudo o que eu penso é liberdade
Não quero ser maltradado,
nem exportado desse meu chão

Minhas asas, minhas armas,
não servem para me defender
As cores da natureza pedem
ajuda pra eu sobreviver

Você que me vê voando
Como a paz de uma criança
Você sabe a minha idade
Eu sou sua esperança

A ordem da humanidade
não deve ser destruída
quando eu voar me proteja
sou parte da sua vida

Eu sou como a borboleta...


Boroboletas 
Victor & Léo
Percebo que o tempo já não passa
Você diz que não tem graça amar assim
Foi tudo tão bonito, mas voou pro infinito
Parecido com borboletas de um jardim

Agora você volta
E balança o que eu sentia por outro alguém
Dividido entre dois mundos
Sei que estou amando, mas ainda não sei quem

[refrão]
Não sei dizer o que mudou
Mas, nada está igual
Numa noite estranha a gente se estranha e fica mal
Você tenta provar que tudo em nós morreu
Borboletas sempre voltam
E o seu jardim sou eu



sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Contos de uma dama - Parte I


Tudo começou em um baile, daqueles com muito glamour, Clara apareceu encantadoramente, cabelos castanhos, olhos azuis, um vestido cor de vinho, longo e que acentuava mais a sua cintura, nas orelhas, um detalhes, brincos que combinavam com a sua delicadeza, seus cabelos presos ressaltava o seu colo, com um pouco de sardas, mas surpreendentemente lindo! Seu perfume de rosas isalava no ar.
Entre sorrisos e conversas com as suas amigas, surgiu uma troca de olhares de segundos com certo rapaz que estava naquele salão. Eles, vestido à caráter com smoking, aparentemente com rosto de homem experiente, porém com um sorriso intrigante. Cabelos escuros, com a pele branca, e assim os olhos de clara desceu despindo o rapaz todo, mas em seguida veio o susto. Em suas mãos ele possuía uma aliança. Acabou de vez a esperança da jovem.
Houve certo momento inevitável no baile, os dois se esbarraram e com isso foi possível escutar o batimento cardíaco um do outro, e assim como um ao outro não foram capazes de tirar os olhos quê estavam fixados nas suas respectivas bocas, exaltando o desejo de estarem sozinhos naquele salão.
Depois do baile, Clara não conseguiu esquecer daquele instante, daquela respiração, e mais aumentava em saber o único detalhe, o nome!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Ondas dentro de mim


Amei , com a delicadeza de quem segura nas mãos

uma bolha de sabão

com o cuidado de quem tece fios de seda,

acalentei a própria vida

Esperei, como quem contempla o sol

após a chuva torrencial

Desejei, como quem almeja a paz

depois que o estrondo jaz

Não contemplo águas paradas

persigo o movimento que há nas estradas

Hoje, não é o fim

encontro ondas dentro de mim

ainda amo, acalento, espero, desejo...

transformo cada momento num ensejo



                     *  Úrsula Avner  *

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Pega na mentira



Em todo mundo é essencialmente cara-de-pau, mas todo mundo já mentiu no sexo. Entre mentiras inofensivas e do mal, melhor relaxar!


Por: Sandra


Como é que Pinóquio, o boneco de madeira que queria ser gente, foi parar nas palestras do ginecologista Eliano Pelini, chefe do setor de sexualidade da Faculdade de Medicina do ABC, de São Paulo? Para o médico, o nariz de Pinóquio é como um pênis, que cresce cada vez que seu dono conta uma mentira. Ao lado de um telão com imagens do filme sobre o personagem, feito por Walt Disney em 1940, o doutor explica: “Os homens mentem amor para conseguir sexo. As mulheres, por outro lado, fingem sexo para conseguir amor”. A frase é forte. Silêncio na platéia. Em segundos, cabeças balançam em concordância – inclusive a dos outros três especialistas em sexualidade que dividiam o palco com o doutor Pelini.
Se todos nós, algum dia, contamos mentiras nus, refestelados em travesseiros, seríamos então caras-de-pau por natureza? Nem sempre. Mulheres, ao fingir o orgasmo ou transar sem vontade, prejudicam muito mais elas mesmas que os parceiros. “Elas têm medo de magoá-los”, diz a sexóloga e psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade (Prosex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas. “Com isso, acabam se anulando.” O resultado, inúmeras vezes, vem a ser ficar não só sem amor (mentira, como se sabe, tem perna curta), mas também sem sexo – pelo menos o de qualidade. Afinal, é só com sinceridade que a mulher pode ajudar o companheiro a desvendar o mapa do prazer de seu próprio corpo. “Muitas nem se importam em gozar. Querem do sexo apenas o carinho, a sensação de serem desejadas, que elas consideram amor”, comple


ta a doutora Carmita.


Diferenciando sexo e amor


Garotas, todo mundo sabe, em geral são mais seletivas e confundem amor com sexo. Garotos, ao contrário, topam quase qualquer transa e separam amor de sexo. Mesmo assim, eles, muitas vezes, prometem fidelidade e fazem planos que acabam por não cumprir motivados por auto-engano. Confundem a paixão sexual com afeto e, tendo desvendado a própria confusão (geralmente, depois de caírem na cama com a suposta amada, claro), desaparecem por constrangimento ou por não saberem como agir. É o velho clichê de que a cabeça de baixo (do pênis) controla a de cima (o cérebro). Isso é mais provável quanto mais jovem e inexperiente for o sujeito. Com o tempo, ele vai aprendendo a diferenciar os sentimentos que fazem pulsar seu coração daqueles que fazem pulsar outras partes. Mas, mesmo assim, ainda pode vir a mentir... por “culpa do desespero” (!).


Mentiras para conseguir sexo


Desespero. Necessidade. Essas palavras foram usadas pelo funcionário de RH Caio Fernandes, 23 anos, em meio à confissão de que ele e os amigos vez ou outra passam uma conversinha na mulherada só para conseguir transar. Alguns caras chegam a chorar, segundo Caio, e depois dão risada no bar, contando a encenação para os amigos. Sem culpa. A justificativa é que as garotas seriam “parceiras” na mentira quando colocam a condição de só aceitar transar quando a relação virar namoro. “A gente acaba topando namorar, mas a história dura um mês ou dois e termina, porque não é verdadeira, não aconteceu espontaneamente”, diz Caio, que já concordou em transformar em parceira fixa uma ficante, mesmo sabendo que não iria dar certo. “Eu havia saído de um namoro longo e não queria embarcar em outro de cara. Mas estava supercarente de sexo. Homem que acaba de sair de relacionamento estável é roubada! Um dos pontos mais difíceis de uma separação é ficar sem sexo garantido.”



Mulherem também mentem


Por ter um irmão três anos mais velho, a estudante de moda Nathalia Sonoda, 20, diz que aprendeu a desconfiar da sinceridade do xaveco. Mas a convivência com ele também ensinou a ela que as garotas costumam mentir muuuito para si mesmas. “Quando o cara deixa claro que quer só transar, a mulher aceita achando que vai conseguir mudá-lo. Já vi muita menina que havia topado só sexo com o meu irmão ficar no pé dele, sofrendo.” Mas, como saber se seu novo paquera é um Pinóquio? Ou se você é uma Pinóquia? Na ausência de uma receita, melhor criar para si um Grilo Falante e repetir que mentiras todo mundo conta e que se relacionar implica correr riscos. O amor existe, só que não necessariamente em qualquer esquina. Exige tentativas mesmo. Depois de despedir-se de Pinóquio, o doutor Pelini encerra: “Se uma relação não deu certo, não se deixe traumatizar e com isso prejudicar as outras. Uma hora engata”.

Ser solteira é uma opção!


Tem gente que não se toca mesmo, só porque estou solteira, é caso de incomodar muita gente!
Primeiramente o questionamento é o seguinte? Porque não arruma um namorado?
Afinal...você está perto da era balzaquiana.
Mas o que uma coisa tem haver com a outra?
Uma coisa a esclarecer para todos os homens!
O fato de está solteira não significa que estou sozinha!
Sempre gostei de liberdade! Uma coisa que não entendo é a pessoa namorar sem ser por necessidade. A necessidade que refiro é a falta de paixão! E, sinceramente, só namoro quando estou apaixonada! Não preciso ficar que nem uma louca ensandecida a procura de alguém! O caso de está prestes a chegar nos trinta, fez com que eu tenha escolhas mais sensatas. Vejo amigas minhas, sofrendo por causa de uns carinhas, não terminam por estarem com medo de ficar só! Traições, a falta de respeito e até brutalidades entre as relações.
Eu te amo não significa tudo! O que vale são as ações, os olhares e a respiração!
Tá certo...não quero um príncipe encantando, mesmo porque homem perfeito tem prazo de validade. Basta o primeiro deslize!
Quero apenas uma pessoa normal, mas se tiver os genes másculos de Antonio Bandeiras, a poesia de Chico Buarque, e o sorrido de Reinaldo Gianecchini já dá pro gasto (risos).
Atenção homens, mulheres adoram ri, então se esforce e arranque um sorriso, deixem sutilmente vermelhas e as elogiem!
E seja determinado...ou você mergulha de vez ou fica na beira da praia!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Poema Feminino

Que mulher nunca teve
Um sutiã meio furado,
Um primo meio tarado,
Ou um amigo meio viado?
Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan para dormir?
Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?
Que mulher nunca pensou
Em dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?
Que mulher nunca penou
Para ter a perna depilada,
Para aturar uma empregada
Ou para trabalhar menstruada?
Que mulher nunca comeu
Uma caixa de Bis, por ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?
Que mulher nunca apertou
O pé no sapato para caber,
A barriga para emagrecer
Ou um ursinho para não enlouquecer?
Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Que 'dele' não lembra nem o nome?

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Sexóloga estressada



Dicas de uma sexóloga radical e estressada, respondendo às perguntas dos ouvintes:

1 - Tenho 20 anos e não transei ainda porque gostaria que a 1ª vez fosse com um namorado fixo. O que você acha?

R: Vai ser difícil, todos eles se movem na hora H.


2 - O que fazer para surpreender meu marido que é meio tímido?

R: Apareça com um amante.


3 - Tenho um amigo que quer fazer sexo comigo, mas ele tem um pênis de 20cm. Acho que vai ser doloroso, o que faço?

R: Manda pra cá que eu testo pra você.


4 - Como faço para seduzir o rapaz que eu amo?

R: Tire a roupa! Se ele não te agarrar, cai fora que é gay.


5 - Terminei com meu ex porque ele é muito galinha e agora estou com outro. Mas ainda gosto do ex e às vezes ainda fico com ele! O que devo fazer?

R: Quem é mesmo galinha nesta história?


6 - Quero saber como enlouquecer meu namorado só nas preliminares.

R: Diga no ouvidinho dele: 'minha menstruação está atrasada..'


7 - Sou feia, pobre e chata. O que devo fazer para alguém gostar de mim?

R: Ficar bonita, rica e ser legal. Obviamente.


8 - O cara com quem estou saindo é muito legal, mas está dando sinais de ser alcoólatra. O que eu faço?

R: Não deixe ele dirigir.


9 - Por que, na hora do sexo, quando a gente está no vai e vem, na hora em que o corpo entra em atrito e faz aquele barulho de quem está batendo palmas, a gente fica mais excitado?

R: É porque parece que tem torcida, tá ligado? Da próxima vez grite pra galera


10 - Apesar do meu tamanho, eu tenho apenas 15 anos de idade e não tenho cara propriamente linda. O que devo fazer para conseguir comer umas gatas?

R: Nesta idade você tem que comer Sucrilhos, entende?


11 - Sou virgem e rolou, pela primeira vez de fazer sexo oral. Terminei engolindo o negócio e quero saber se corro o risco de ficar grávida. Estou desesperada!

R: Claro que corre o risco de ficar grávida. E a criança vai sair pelo seu ouvido.


12 - A primeira vez dói? Tenho 21 anos e ainda não transei porque tenho medo de doer e não agüentar.

R: Dói tanto que você vai ficar em coma e NUNCA mais vai levantar. Vê se deixa de ser fresca, e dá de uma vez, ô Cinderela!!!


13- Posso tomar anticoncepcional com diarréia?

R: Eu tomo com água, mas a opção é sua. Espero que use copo descartável.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Sexo X Amor



Eles querem sexo, elas querem amor e um telefonemazinho depois da transa. Grudar no celular é um sintoma da depressão pós-sexo. Ainda bem que com a idade melhora



Por: Sandra Soares
Foto: Cláudia Briza

Até o início dos anos 90, quando os primeiros celulares começaram a funcionar no Brasil, meninas solteiras costumavam brigar pelo monopólio do telefone doméstico. Empenhadíssimas em manter o aparelho no gancho para que os paqueras da vez pudessem encontrá-las, elas interrompiam conversas alheias aos gritos, pela extensão, proclamando que a linha deveria permanecer livre, livre, liiiivre! As mais apaixonadas, inclusive, se recusavam a sair de casa para ficar de plantão ao lado do aparelho torcendo para que ele enfim fizesse trim trim. Aí veio a tecnologia e tratou de resolver este, digamos, probleminha feminino. Se a pílula anticoncepcional garantiu, a partir dos anos 60, o direito da mulher ao sexo apenas por prazer, o telefone móvel deu a ela o conforto de aguardar aquela ligação em qualquer lugar. Sim, muitas de nós continuam esperando ele ligar. E, se a relação já passou pela cama, então, ainda com mais ansiedade, roendo as unhas. Grudar no telefone é o sintoma mais clássico da depressão pós-sexo – a conhecida síndrome que ataca as garotas insatisfeitas em transar só por transar.

Confundindo amor e sexo
Depois de ouvir quase 8,2 mil pessoas em dez cidades do país, a sexóloga Carmita Abdo, coordenadora da pesquisa sobre comportamento sexual Mosaico Brasil, afirma que mulheres, em geral, ainda tendem a confundir sexo com amor. É verdade que 51% das cerca de 4 mil entrevistadas garantiram que fazem distinção entre vida afetiva e vida sexual. Mas outros dados do levantamento feito pela Universidade de São Paulo (USP) mostram que pelo menos quando bem jovens elas têm uma visão mais romântica dos relacionamentos. Prova disso é que homens e mulheres paulistanos responderam à pergunta “Com quem iniciou a vida sexual?” de maneira bem diferente. Noventa por cento delas foram rápidas na resposta: “Com um namorado”. Já eles variaram: 37% disseram “namorada”, 28%, “amiga”, 20%, “prostituta”, 10%, “desconhecida” e 5%, “prima”. Analisando esses dados, a doutora Carmita concluiu: 2/3 das entrevistadas consideravam namorado alguém que as enquadrava como “amiga” ou em alguma outra das categorias citadas acima. A especialista explica que, quando a mulher elege alguém para a sua primeira vez, fantasia que vá viver feliz para sempre com o escolhido. Mas, como isso acontece hoje, em média, em torno dos 15 anos, a garota acaba tendo à frente muito tempo antes de se casar. “A mulher atualmente se casa, em média, aos 27 anos e por isso é natural que ela, durante esses doze anos, entre a perda da virgindade e o altar, experimente vários parceiros. Com isso, acaba aceitando que nem sempre o sexo implica namoro”, explica.

Sexo sem compromisso
A DJ Luisa Mello, 26 anos, de Belo Horizonte, tinha 18 quando deixou de ser virgem, e só aos 26 aprendeu que, sim, dá para separar sexo de amor. “Até os 24 eu tive dois namoros longos e sérios”, conta ela. “Mas depois fiquei um ano e meio sozinha e apostei em relações com caras que não queriam compromisso. Comecei a achar que os homens bons já estavam tomados.” Depois de enfrentar inúmeras manhãs pós-sexo em que ficava deprimida, com os ouvidos atentos ao celular mudo, Luisa resolveu que não transaria com ninguém que não conhecesse bem. Mas aí começou a sentir falta de sexo e acabou indo para a cama com um grande amigo que passou a acionar quando o tesão apertava. “Sexo sem amor eu até encaro, mas sem afeto e amizade não dá!”, diz. Há seis meses, a DJ se apaixonou e começou uma nova história – que desta vez vem dando certo. “Voltei a paquerar quando aceitei que os homens têm uma relação mais desencanada com o sexo e que tudo bem. Eu experimentei sexo desencanado com o meu amigo e gostei (risos)! E aí parei de encarar os caras como inimigos.” No levantamento feito pela USP, 53% das mulheres se declararam incapazes de transar com alguém com quem não estejam envolvidas, contra 22% dos homens. A publicitária paulistana Bárbara Bufrem, 24, faz coro às estatísticas. Durante mais de dois anos, ela até tentou encarar na boa um “freela fixo” com um cara. “Várias amigas minhas têm um ‘pinto amigo’”, diz. “Tentei manter um também, mas estava me autoenganando. Esperava que ele mudasse e esperar é muito chato.” A solteira Bárbara, hoje em dia, toma a iniciativa de procurar o paquera sempre que a ansiedade começa a atacar. “Mas uso o messenger, claro, porque tem menos ‘peso’.” Santa tecnologia!


-------------------------------------------------------------------------------------
Essa reportagem é da revista GLOSS! Espero que tenham gostado!

domingo, 6 de setembro de 2009

Curiosidades sobre o sexo

1. O sexo é um tratamento de beleza. Provas científicas demonstram que quando as mulheres fazem amor produzem maiores quantidades de hormônio estrógeno que dá brilho ao cabelo e deixa a pele tenra.
2. Fazer amor de forma tranqüila e relaxada reduz as probabilidades de sofrer dermatites, urticárias ou granos. O suor que se produz limpa os poros e dá luminosidade para a pele.
3. Fazer amor queima as calorias durante a cena romântica.
4. O sexo é um dos esportes mais seguros que se pode praticar. Estica e tonifica quase todos os músculos do corpo. Se desfruta mais que nadar 20 piscinas ,ou outro esporte que solicite equipamentos especiais.
5. O sexo é uma cura instantânea para a depressão leve. Libera endorfinas na corrente sangüínea, produzindo uma sensação de euforia e deixa com uma sensação de bem-estar.
6. Quanto mais sexo praticar, mais sexo vai querer. O corpo sexualmente ativo desprende maiores quantidades de feromônios. Estes sutís perfumes sexuais deixam louco o sexo oposto!
7. O sexo é o tranqüilizante mais seguro do mundo. É 10 VEZES MAIS EFETIVO QUE O VALIUM.
8. Beijar todos dias mantém triste o dentista. O beijo secreta saliva que limpa os restos de comida dos dentes e reduz os níveis dos ácidos causadores de cáries, e previne contra o tártaro .
9. O sexo realmente alivia as dores de cabeça . Uma sessão fazendo amor alivia a tensão que aperta os vasos sanguíneos do cérebro.
10. Fazer muito amor descongestiona o nariz fechado . Sexo é um anti-histamínico internacional. Ajuda a combater asma e alergias. DESFRUTE DO SEXO!!!!!!!! !!!!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Sabedoria

Há várias sabedorias na vida, não devemos perder nenhuma delas...
Viver amanhã é muito tarde. Viva hoje

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Acreditar"

"Acredito nisso: no fascínio
na doentia obstinação
na paixão mais absurda
que nos torna transparentes para nós mesmos
e para os outros eternamente impenetráveis.".

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Níveis de Classificação de um Cafajeste- Entre e conheça o seu...





Nesta minha jornada de procura pela
internet, decidi ver quais são as características de um cafajestes, pois sempre,
eu disse SEMPRE, caimos nas lábias de um. O texto foi retirado do site:
http://www.bolsademulher.com/forum/amor/f16/14391//


Como existe um número enorme de tipos de cafajeste, vou tentar resumir ao máximo, mas sem deixar de explicar direito cada tipo.
Procure o tipo de cafajeste que encontra-se ao seu lado e saiba como lidar com
ele (pelo menos vc não vai ter surpresas desagradáveis).
Primeiramente, saiba como reconhecer um cafajeste, e depois veja qual o nível de cafajestagem ele se encontra:
1 – O cafajeste tem um magnetismo natural.
2 – Geralmente ele sabe se vestir para cada ocasião.
3 – Ele conversa sempre
discretamente, sem gritar ou gesticular feito italiano, em tom de voz perfeitamente adequado aos ouvidos.
4 – O cafajeste é aquele cara que, em uma conversa em grupo, sempre descobre tudo de todos (na verdade, ele quer saber apenas de todas, mas ele precisa disfarçar, perguntando alguma coisa para os homens também), porém, não deixa que ninguém descubra algo sobre ele.
5 – Quando o cafajeste olha para a mulher o atraiu, ele deixa transparecer que se interessou, mas sem exagerar.
6 – Os cafajestes são caras engraçados, mas de uma forma sutil e não grosseira. Têm sempre a tirada certa, para o momento certo.
7 – Você nunca o verá de intimidade (leia-se amizade colorida) exagerada com uma mulher que ele não está ficando.
8 – Na pista de dança em uma balada, ele não se movimenta de forma espalhafatosa e desordenada. Sua dança tem sempre a finalidade de atrair uma mulher.
9 – Em locais de costumeira consumação de bebidas alcoólicas, caso ele beba (existem cafajestes lights), você não o verá NUNCA em “final de carreira”.
10 – Se o cafajeste possui, dentro do recinto, uma quantidade significativa de amigos, você notará que ele SEMPRE é referência para algum deles em algum assunto.
11 – O cafajeste dificilmente anda em bandos.
12 – O cafajeste não é daqueles caras que fica competindo com os amigos para ver quem pega mais garotas em uma noite.
13 – Se, em qualquer lugar, (seja na balada, seja na sorveteria, ou até mesmo pela internet) você, pobre mocinha inocente, for abordada por um rapaz para qualquer coisinha simples, como perguntar as horas e, de repente, isso virar uma conversa longa e envolvente, você acabou de conhecer um cafajeste, e corre um sério risco
de terminar ficando com ele.
14 – Os cafajestes costumam tratar todas as mulheres de forma igual, sem distinção por sua beleza ou qualquer outro aspecto.
15 – Para o cafajeste, a mulher sempre estará linda, pois é isso que elas querem ouvir.
16 – O cafajeste sempre evita sair em fotos, principalmente perto de outras mulheres.
17 – Se você é apresentada a um moço e, na hora de cumprimentar, ele põe a mão nas suas costas e puxa você para perto dele, é cafajeste e quer que você sinta sua pegada.
18 – Cafajestes são sensíveis. Não por serem frescos, mas por serem malandros mesmo.
19 – Os cafajestes somem de lugares públicos feito ninjas.

Se o seu namorado, caso, ficante, seja lá o que for, apresentar pelo menos três dessas características pode saber, ele é um cafajeste. Agora saiba o nível de cafajestagem do rapaz.

domingo, 21 de junho de 2009

Cronicas de marta medeiros sobre amor



Sentir-se amado
O cara diz que te ama, então tá. Ele te ama.
Sua mulher diz que te ama, então assunto encerrado.
Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas
mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença
de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se. A demonstração de amor
requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com
outra coisa: se o cara beija, transa e diz que me ama, tenha a santa paciência,
vou querer que ele faça pacto de sangue também?
Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e
tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um
pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos
dois. Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que
zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando
certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas
dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando. "Não seja tão
severa consigo mesma, relaxe um pouco.
Vou te trazer um cálice de vinho". Sentir-se amado é ver que ela lembra de
coisas que você contou dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu
pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com
delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d´água.
"Lembra que quando eu passei por isso você disse que eu estava dramatizando?
Então, chegou sua vez de simplificar as coisas. Vem aqui, tira este sapato."
Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a
mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente
aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que
tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que
tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser
exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem
nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem
não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta. Agora sente-se e
escute: eu te amo não diz tudo.Martha Medeiros

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Cientistas descobrem que trompas uterinas possuem células-tronco

Nossas trompas de falópio podem salvar o mundo. Pelo menos foi o que médicos brasileiros descobriram ao estudar a tuba uterina (canal onde ocorre a fecundação) e encontrar células-tronco com potencial para se transformar em uma vasta variedade de outras células.
Sempre me achei uma heroína, alguém capaz de dar a vida por outra vida, de cultivar uma vida dentro de si é uma heroína por si só, o que me remete àquelas que nunca desejaram ter um frutinho vindo de si. Mas deixa isso pra lá.
Ainda segundo o estudo feito pela revista “Journal of Translational Medicine”, as células mesenquimais que podem ser extraídas de cordões umbilicais, polpa dental e tecido adiposo podem sofrer modificações para ser posteriormente transformadas em células musculares, ósseas e cartilagem.
Ao contrário das células troncos embrionárias, tão amplamente utilizada pela medicina, e por serem extraídas de tecidos descartáveis, esse tipo de célula não gera problemas éticos, segundo os cientistas.
Nota 1000 para as mulheres. Mais uma vez entrando para a história...risos

Doces Vinganças

Ai que saudade!!!
E estar atarefada demais com afazeres profissionais, domésticos, afetivos, financeiros (risos) e, digamos assim, sexuais não é desculpa para blogueiros. Passou o tempo. Pois bem, estava eu navegando por ai como sempre, procurando me divertir com informações úteis, interessantes quando me deparei com uma reportagem feita pela Gabriela Cupani, da reportagem da Folha de São Paulo.
Gabriela escreveu sobre um estudo que revela (fala sério!), que as mulheres são mais vingativas que os homens, e que essa reação considerada imatura, só traz um alívio imediato, tipo cocaína que você cheira, adora, e depois acorda dentro do pesadelo do vício, pelo menos foi assim que entendi...
Gostei do trabalho da Gabi, nada contra, texto perfeito...rs mas o que quero mesmo é comentarrrr...e nesse caso, acho que até a Copélia iria fazer questão de comentar...rs
O texto completo pode ser lido no site da Folha ou pelo link: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/eq1806200906.htm.
Mas vamos lá:
“O que leva uma pessoa a enviar uma dúzia de flores murchas ou uma caixa de escorpiões artificiais a um desafeto? O mesmo motivo que desperta a vontade de esmurrar alguém numa briga. São apenas jeitos diferentes de lidar com a raiva.Enquanto os homens, num acesso de fúria, partem mais facilmente para a reação física, a maioria das mulheres tende a expressar sua mágoa com o que se chama de agressão de baixa intensidade -que inclui atitudes de desprezo, fofocas e planos de vingança.” ...eu explico, o simples fato de poder mostrar que não somos burras, que não temos medo, e que sabemos de tudo (nem sempre se escreve certo por linhas tortas, mas sabemos). Eu de minha parte prefiro utilizar da agressão de baixa intensidade, porque não quebro minhas unhas, não sujo minha dignidade perante a sociedade (isso vale muito, tenho um emprego para manter...), e tudo o que foi dentro do ‘presente’ é auto-explicativo, não tenho que ficar gritando aos quatro cantos ou escrevendo cartas...

Mais adiante, a repórter explica como foi organizado o estudo de uma universidade mexicana com relação ao assunto: “Os pesquisadores chegaram a essa conclusão após avaliar 42 homens e o mesmo número de mulheres, que foram expostos a 120 imagens com quatro características principais: agradáveis, desagradáveis, estímulos capazes de levar à ação e aqueles que deprimem ou levam à inatividade.Enquanto isso, eram monitorados por meio de eletroencefalograma e pela medida de respostas da atividade neurovegetativa (como temperatura corporal, frequência cardíaca e tensão muscular).Quando a pessoa reagia com alta atividade emocional a um estímulo desagradável, era classificada como agressor reativo. Se a resposta emocional era mais fraca e o indivíduo planejava uma estratégia para liberar a raiva posteriormente, era caracterizado como proativo. Os dados revelaram que 70% dos homens tendem à impulsividade, em comparação com apenas 10% das mulheres.” Já fui muito boba quando nova, mas nunca pensei o contrário, ou seja, sou super controlada. Guardar a raiva para quê, se a gente pode resolver o assunto agora, e de forma prática e dinâmica. Senão voltemos ao exemplo anterior: ao mandar rosas murchas ou escorpiões de plástico, que ideia estou querendo repassar para o destinatário? Se ele colocar a cuca para funcionar vai entender...

A parte mais esdrúxula e não menos engraçada da matéria foi a que me revela a existência em Barueri (SP), de uma loja especializada em vender produtos sob medida para aqueles que desejam se vingar. Com o nome sugestivo ‘Doces Vinganças’ (não caberia outro, risos), o local vende por mês 1500 itens como peixes podres, ovos em pedestais com dizeres ‘para o galinha do ano’ (que mimo, e eu aqui perdida entre sapos com a boca amarrada)...rs, para aqueles sedentos de vingança, presentearem os rivais...rs
Aiai....

sábado, 13 de junho de 2009

Sofre por amor: Luxo ou Lixo?


Recebi um e-mail de Monique Valente, uma pessoa que admiro pela delicadeza...mas vamos lá, o texto nada mais, nada menos fala de amor...Monique adaptou o texto de Fernanda Melo...espero que gostem!


Há cura para o amor?

Ah, gente, não sei.

Realmente não sei.

Me desculpem.

Se existisse fórmula seria fácil. Mas não tem.

E a única coisa que a gente não quer saber é de fórmulas quando o coração está em pedaços.

Não adianta alguém falar "vai passar" porque a única resposta que me vem nessas horas é uma pergunta: QUANDO?

E ninguém sabe o tamanho do tempo e a gente acha que o mundo acabou, que o amor é marketing, enxerga qualidades onde a pessoa (aquela ingrata!) não possui e se vê num questionamento interior que não tem fim (e muito menos respostas): por quê? Onde errei? E outras que nem preciso enumerar porque são sempre as mesmas. Só muda o objeto do amor e a intensidade do sentimento.

Você pode ter conhecido a pessoa há uma semana mas tem certeza que é o amor da sua vida, a razão de tudo, a tampa da sua panela.

Ah, então tá.

E as amigas te consolam, a maquiagem borra e todo mundo come chocolate junto, enquanto a frase que mais odiamos ecoa no ar "se o sujeito não te quer é melhor você ficar sem ele".

Ai, hora do choro aumentar!

Pra amenizar, alguém diz que a atual do cara é uma sonsa.

Han? Como assim? Você vai dizer: antes tivesse me trocado por alguém melhor do que eu!

Estou certa? Pois é. E você sofre. Faz drama. Drama, não, dramalhão.

Afinal você ama aquele filho-da-mãe de uma figa que deixou seu orgulho ferido e sua auto-estima no chão. E a gente esquece os defeitos dele, esquece que ele tem manias estranhas e esquece também que, no fundo, não via muito futuro pra vocês dois. Verdade? Não, nessas horas nada é verdade. Sofrer por amor cega, dá uma super inspiração e deixa nossas mães preocupadas, essa é a única verdade. Eu já tomei pés-na-bunda consideráveis e acho que se a Jeniffer Aniston pode, quem sou eu pra fugir da regra.

Já me disseram NÃO e nem por isso sou menos inteligente, menos legal, menos louca, menos linda, menos tudo, menos nada. A única coisa que tenho certeza é que eu NÃO ERA a pessoa certa pra aquele cara. Pelo menos naquele momento. Olha que simples. E sem aquela teoria furada de que o moço tem medo, algum trauma de infância e signo complicado. Quando a gente quer de verdade - meninas, acordem! - a gente vai até o inferno, desfaz casamentos, paga pra ver, apela para a baranguice e canta "Baby, come back" debaixo da janela. Porque o amor é brega. E disso ninguém escapa. Então, vamos aproveitar nosso minuto de lucidez (enquanto não caímos na teia do amor de novo) e aprender de uma vez por todas: não é pra gente se achar um lixo quando um amor acaba.

Não é pra gente imaginar que a atual do seu ex é perfeita (acredite: elas nunca são). E definitivamente não é pra gente confundir orgulho ferido com amor. Afinal a gente não vai amar uma pessoa que não ama a gente. E ponto.


p.s: o sofrimento é inevitável, mas o luxo é opcional.


* Por Fernanda Mello (adaptado)

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Existe regra para a paixão?


Após recente matéria exibida no Globo Repórter, o especialista Aílton Amélio se disponibilizou em tirar dúvidas dos telespectadores e internautas em uma sala da batepapo para falar de como devemos comportar em algumas situações amorosas, na conquista de uma par ideal para o resto da vida.

Segue alguns trechos do batepapo que achei interessamte:

A teoria mais considerada diz que tendemos a nos apaixonar seguindo três critério. O primeiro é você ter que admirar a pessoa. Depois, você precisa ter esperança que vai dar certo. E em seguida ter segurança. A segurança é o catalisador do amor. Quando a pessoa se entrega de cara, isso pode não favorecer a reciprocidade do amor. Quando a pessoa sugere que vai embora, acaba gerando uma insegurança no parceiro.

Vem e volta

Tem pessoas que brigam e voltam. Alguns se amam. A parte romântica é forte, mas o convívio é inconveniente. Aí, quando eles se afastam, a paixão volta. Vira um ciclo vicioso. É preciso achar um jeito de conviver com as diferenças.
Agência de namoro
A maioria das pessoas se encontram em baladas. Essas histórias de pessoas que se encontraram em trânsito, por exemplo, são raras. 4% dos namoros começam em encontros acidentais, segundo meu estudo. Apenas 1% começavam na internet e em agências de casamento e em anúncios em jornais. Apesar disso, a internet é importante para algumas pessoas, como os tímidos.
Existe a ideia que homens podem transar de forma não-afetiva.
Cinco fatores que ajudam o relacionamento: você tem que escolher bem o parceiro. O segundo fator chama-se satisfação: proporção entre custos e benefícios na relação. Quase tudo que faço pode ser lido como custo ou benefício. Será que transo bem? Será que ajudo nas tarefas caseiras? Isso é benefício. Será que sou crítico? Isso é custo.
Segundo um autor, para que o relacionamento seja bom eu tenho que levar cinco benefícios para cada custo. Quando a pessoa sabe que você vai trazer coisas mais agradáveis, você vai ser bem-vindo. O terceiro fator chama-se alternativas. Às vezes eu deixo o relacionamento porque fora dele existe algo melhor. Ou então pode haver uma pessoa melhor. Um autor diz que o ótimo é inimigo do bom. O quarto fator é o relacionamento: você tem que entrar nele com os dois pés. É preciso conviver juntos. O quinto fator é chamado de barreira. Há 30 anos, a lei dificultava o recasamento. A opinião pública condenava a pessoa separada.
Há vários tipos de erros. Se estou num bar, a conversa é crucial. Há muitas maneiras de errar na conversa. Tem gente que não respeita a intimidade, pergunta coisas inconvenientes. Muitos homens já avançam sexualmente. Quem está se encontrando pela primeira vez, recomendo não deixar uma mesa entre as pessoas. É uma barreira. Não coloque barreiras físicas e psicológicas. Outra coisa: algumas pessoas num primeiro encontro se esquecem o que está acontecendo. A pessoa para de falar sobre a outra pessoa e começa a falar sobre outros assuntos, como o próprio time de futebol. Isso é errado.

sábado, 6 de junho de 2009

O que é o amor?




Com tantas discussões em torno da data comercial do dia dos namorados, compra e trocas de presentes, juras de amor vem a tona o tema: o que sabemos sobre o amor. Em um artigo publicado no Jornal Nippo-Brasil, o psiquiatra Roberto Shinyashiki fala sobre o assunto:




Muita gente confunde possessividade, insegurança e ciúme com o amor. Na verdade, esses sentimentos podem se assemelhar ao amor, mas, em sua essência, negam a nossa profunda vocação na vida. São como flores de plástico comparadas com a flor verdadeira. Ambas têm em comum algumas características, mas possuem origens diferentes.


A possessividade nasce do medo, ao passo que o amor nasce da própria vida à procura de celebração. O ciúme nasce da mesquinharia, da vontade de controlar o crescimento do outro, e o amor nasce da generosidade que existe em nós.


Enquanto a insegurança nos transforma em mendigos, sempre pedindo, ou pior, cobrando algo do outro, o amor nos dá energia para doarmos o que somos à pessoa que nos estimula a amar.
Certamente cada um de nós, pelo menos uma vez na vida, já refletiu sobre o amor – fonte de luz, de energia vital que movimenta toda a humanidade.


Amor não é cobrar por suas ações. Há uma confusão muito grande entre o amor verdadeiro e um produto similar, chamado amor de troca – uma conduta usada como moeda para dar direito a cobrar determinados comportamentos dos companheiros. Exemplo típico é a eterna cobrança:




“Eu sempre cuidei de você e, agora que preciso, não o tenho comigo”.


Quando, numa relação, as pessoas se sentem amarguradas, convém refletir cuidadosamente, pois o amor é uma energia que impulsiona para a vida. Quando estamos amando alguém, sentimo-nos vivos e em sintonia com o Universo.


O amor é a força que nos leva a enfrentar todos os nossos medos, criados desde as primeiras experiências dolorosas de aproximação. Tornamo-nos corajosos e ousados, prontos a desafiar o tédio e o comodismo, a enfrentar o desafio do cotidiano.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Para uma noite especial


Em matéria publicada no Portal Terra, o Dia dos namorados sempre sugere paladares intensos, marcantes. Iguarias que devem seduzir pela aparência sem decepcionar a boca. Chocolates, "dos bons", parecem dar conta da demanda, independente da forma como são apresentados: trufas, barras, bombons, cestinhas recheadas etc. As pequenas mordidas no sedoso e aromático chocolate aquecem a alma e o relacionamento amoroso. Naquele momento preciso, quando o olfato antecipa a mordida, parece que nada mais existe ao redor e o mundo se resume à mistura de aromas e sabores que explodem na boca e no nariz. "Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates", escreveu Fernando Pessoa.
Após a mordida e apreciação do chocolate, a experiência pode ser prolongada e ampliada com a escolha certa da bebida que o acompanha. Embora seja de harmonização difícil, existem vinhos a preços razoáveis que podem fazer par com a guloseima. Antes, porém, é preciso entender que a harmonização não é das mais fáceis. Não é qualquer bebida que consegue encarar de frente seu peso e untuosidade.
No campo dos vinhos, as opções ficam em torno dos exemplares mais doces, com destaque para os fortificados. Durante o processo de fermentação, os fortificados recebem uma generosa porção de aguardente vínica, o que interrompe a transformação do açúcar em álcool, resultando em um vinho potente, com alto teor alcoólico (conseqüência da adição de aguardente) e doce (com a interrupção do processo de fermentação, grande parte do açúcar do mosto não foi transformado em álcool).
Entre esses vinhos, os mais conhecidos são os do Porto. Além da característica adocicada e potência alcoólica, o tempo de envelhecimento de um Porto adiciona à bebida aromas que também remetem ao universo do chocolate, como baunilha e caramelo. Os do Porto Tawny 10 anos, que passam maior tempo em barricas de carvalho, são boa indicação. Fáceis de serem encontrados, com uma infinidade de marcas, produtores e preços.
Outra opção para quem quer algo mais inusitado são os vinhos fortificados de uva tannat. O Uruguai é a grande referência para esses vinhos que, além da doçura e da potência alcoólica, trazem também forte presença dos taninos na boca, garantindo boa adstringência e equilibrando bem com chocolates, quer sejam na forma de barras, bombons ou tortas mais untuosas e ricas.
Entre os fortificados uruguaios da uva tannat existem no mercado brasileiro o Familia Deicas Licor de Tannat, do Estabelecimento Juanicó, pioneiro na produção desses fortificados, e o Etxe Oneko Tannat Licoroso, da renomada vinícola Pisano.