segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Fora de mim - Martha Medeiros

Passei a ocupar meus dias pensando sobre o que, afinal, é isso que todo mundo enche a boca pra chamar de amor, como se fosse algo simplificado: defina em meia dúzia de frases, é fácil, querida.
É fácil? Pois a querida não entende como uma palavrinha simples formada por duas vogais e duas consoantes pode absorver um universo de sensações contraditórias, diabólicas, insensatas, incadescentes e intraduzíveis. O que é amor? Já tentei explicar a mim mesma, e por mais que tente, jamais consiguirei atingir a essência dessa anarquia que dispensa palavras".

sábado, 25 de dezembro de 2010

O nosso presente de Natal para vocês

 
Para as Meninas!

Beijos queridos leitores. ;***

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Um pedaço do nosso conto!!

Ela já tinha estudado algumas partes do corpo dele, bastava ele entrar por aquela porta...e começavam os estudos, havia um certo receio de ser descoberta pelos colegas de trabalho, mas assim mesmo, enfrentava esse medo ridículo e se punha a fazer certas observações consigo mesma.

Passava os olhares pelas mãos, pelos lábios..e terminava nos olhos dele, um olhar de índio sempre com fome, nunca pensava que acabaria por se entregar durante uma festa após a prova do toque, o ritual de acasalamento...Achava-se forte o bastante para resistir aos seus instintos sexuais, mas não o foi.E assim, na festa, eles dançaram, dançaram mais de uma vez, e aos poucos ela se deixou aproximar do corpo dele, deixou seus seios tocarem o peito daquele homem mais alto do que ela...e assim que os seios se aninharam, ela deitou no seu ombro e elevou as mãos para a sua nuca.
Enquanto isso pensava consigo mesma, que todo aquele toque seria o SIM da noite...passar as mãos pelas costas e parar na nuca...era um dos sinais que ela adorava fazer para dizer o tão esperando sim....

E naquela noite não foi diferente, não foi mesmo...Até ele sabia como dizer que ele a queria, no carro ou na cama, ele queria ela naquela noite...ela soube disso quando sentiu sua língua passar sobre os lábios dela...quando sentiu que a mão tocava a parte superior das suas ancas...e principalmente, quando ela sentiu seu membro acordar durante a dança...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Chegando com a chuva...

"Uma hora com uma jovem e bela mulher passa como um minuto, mas um minuto sobre um forno quente parece uma hora."  Albert Einsten
Tenho que concordar com esse grande gênio, minutos perto de alguém que mexem contigo passam voando de uma forma enlouquecedora a ponto de fazer com que nunca aceitemos isso... E assim, as coisas foram acontecendo, e eis que surgiu o nascimento deste post.
A chuva também veio com toda força, veio para limpar tudo, e por um minuto achei que ela teria chegado para limpar minha vida.
Sim,sim caro leitor, literalmente ela chegou para limpar e trazer ares novos, desses que você pode respirar sem se entupir, e eu topei...deixei que a viagem alucinógena entrasse em mim...Nunca neguei que as novidades me alegram, e como me alegram.
É como se eu pudesse voar com as sensações que essa chuva me trouxe, essa vida que essa chuva me dá, o tesão que ela mostra que ainda tenho todos esses dias...Minha chuva não tem nome porque não cabe aqui nomear fenômenos naturais, basta apenas sentí-los como o vento no rosto...e desejar que essa novidade não se acabe do nada.
Mas ela tem mãos: belas mãos que me tocam forte, que me massageiam. Tem lábios: que me sugam freneticamente a ponto de me fazer querer bem mais do que ele pode me dar...Tem desejos: que se saciam tantas quantas vezes forem necessários serem saciados...
Todavia, AQUELE único desejo só será realizado no dia do seu merecimento...!
Adorável SedutorA*

domingo, 19 de dezembro de 2010

Geni...a heroína da vez!

Sempre tive uma grande paixão pelas músicas do Chico Buarque, o homem é bom até dormindo. Compõe, escreve, joga bola, corre em Copa, tem predicativos que poucos homens tem, e esse lado literário dele é o que dá mais tesão, mas não foi bem nisso que pensei quando resolvi criar esse post.
De todas as criações do Chico, uma sempre me encantou: Geni e o Zepelin. Não por ela ser uma mulher da vida, ou por causa da sua triste vida numa cidade cheia de hipócritas - afinal, eles recorrem a ela quando o grande Zepelin chega. Mas pela força e interpretação que a canção tem. Pela força que ela mostra que toda mulher tem.
Geni é a nossa heroína, Geni é a quebra-galho, Geni é a LBV do mundo de Chico Buarque, e me lembrando de alguns fatos que ocorreram em minha vida nos últimos meses...eu meio que sorri com a vida de Geni, com o destino dela....e com aquela cidade.

"Um dia surgiu, brilhante
Entre as nuvens, flutuante,
Um enorme zepelim.
Pairou sobre os edifícios,
Abriu dois mil orifícios
Com dois mil canhões assim.
A cidade apavorada
Se quedou paralisada
Pronta pra virar geléia,
Mas do zepelim gigante
Desceu o seu comandante
Dizendo: "Mudei de idéia!
Quando vi nesta cidade
Tanto horror e iniqüidade,
Resolvi tudo explodir,
Mas posso evitar o drama
Se aquela formosa dama
Esta noite me servir".

- Não, não, eu não dou para qualquer um, me tem quem me merece, mesmo que seja por um dia só, mesmo que seja meia hora, o importante é que esse dia seja merecido, tenha sido gostoso e rico de vida, visões, tatos, paladares e olfato...Essas novas sensações que nunca se acabam, e penso nisso porque outro dia, ouvi de uma boca que vivendo do jeito que vivo não se sabe aonde vou parar...
Achei engraçado isso. Aonde vou parar?? De que importa o lugar, se Eu vivo, se eu Amo, se eu proclamo e sinto isso na pele, sinto a vida ser usada e abusada por mim da forma como eu sempre sonhei...sem fronteiras, sem proibições...sem magoar ninguém!!! Ai volto para Geni, a minha heróina de hoje e:

"Mas de fato, logo ela,
Tão coitada e tão singela
Cativara o forasteiro.
O guerreiro tão vistoso,
Tão temido e poderoso
Era dela, prisioneiro.
Acontece que a donzela
(E isso era segredo dela),
Também tinha seus caprichos
E ao deitar com homem tão nobre,
Tão cheirando a brilho e a cobre,
Preferia amar com os bichos.
Ao ouvir tal heresia
A cidade em romaria
Foi beijar a sua mão:
O prefeito de joelhos,
O bispo de olhos vermelhos
E o banqueiro com um milhão."

O mais engraçado é que a história faz sentido. Fez sentido...E lá foi a heroína mostrar o seu poder..:
"Foram tantos os pedidos,
Tão sinceros, tão sentidos,
Que ela dominou seu asco.
Nessa noite lancinante
Entregou-se a tal amante
Como quem dá-se ao carrasco.
Ele fez tanta sujeira,
Lambuzou-se a noite inteira
Até ficar saciado
E nem bem amanhecia
Partiu numa nuvem fria
Com seu zepelim prateado.
Num suspiro aliviado
Ela se virou de lado
E tentou até sorrir,
Mas logo raiou o dia
E a cidade em cantoria
Não deixou ela dormir:.."
Adorável Sedutora*

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Terapia Sexual

Uma mulher chegou em casa e disse ao marido:

       - Lembra as enxaquecas que eu costumava ter toda vez que íamos
fazer amor? Estou curada! Não tenho  mais dor de cabeça! Minha amiga
Margaret me indicou um terapeuta que me  hipnotizou! O médico me disse
para ir para frente do espelho, me olhar  bem e repetir para mim mesma:

       Não tenho dor de cabeça!
       Não tenho dor de cabeça!
       Não tenho dor de cabeça!

        Fiz isso e a dor de cabeça parece que sumiu!
       O marido respondeu.
       - Que maravilha!

       Então a esposa disse:

       - Nos últimos anos você  não anda muito interessado em sexo! Por
que você não vai a esse terapeuta e tenta ver se ele te ajuda a
ter interesse por sexo  novamente?

       0 marido concordou, marcou uma consulta e alguns dias depois
estava  todo fogoso para uma noite de amor com a esposa.

       Então foi correndo para a casa e entrou arrancando as roupas e
arrastando a esposa para o quarto.
       Colocou a mulher na cama e disse a ela:
       - Não se mova que já volto!

       Foi ao banheiro e voltou logo depois pulou na cama e fez amor de
maneira muito apaixonado como nunca tinha feito com a esposa antes.

       A  esposa falou:

      - Juca, foi maravilhoso!
       Você nunca me deu tal prazer!

       O marido disse novamente à esposa:
       - Não saia daí que eu volto logo!
       -Foi ao banheiro e a segunda vez foi muito melhor que a primeira.
A  mulher sentou-se na cama a cabeça girando em êxtase com a experiência.

      O marido disse outra vez:
        - Não saia que eu volto logo!
       Foi ao banheiro.

       Desta vez a esposa foi silenciosamente atrás dele e quando chegou
lá o marido olhava para o espelho e dizia:

      - Não é minha esposa!
      - Não é minha esposa!
      - Não é minha esposa!

     
 O velório de Juca será amanhã na capela do  cemitério do Santo Amaro, ás 16 horas.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Morrer de Viver...

Hoje eu (re) nasci
Voltei a sonhar
Viver sem "morrer"
"Morrer" de viver

Hoje me (re) descobri
Vejo que o mundo me sorri
Que tanto sofri
E pouco vivi

Hoje o universo me abre as portas
Ou será eu quem as abro?
Sim, sou eu
Que abre os olhos
O coração
A alma, e essa
Me transporta à porta
Do não à solidão.

(Mô Garcia)

- O poema da Mô, foi retirado de um blog cuja dona se chama Mô, rs...claro!!!(tô enrolando porque não encontrei o endereço de onde retirei ele para falar mais sobre ela), mas o interessante dele é que num desses meus passeios por blogs que falam...expressam...criam e mostram poesias, achei esse aí, meio que me mostrando como eu vivia num passado tão próximo ainda...
Ai reolvi trazê-lo pra cá, porque afinal, nossa vida sempre tem acontecimentos que mesmo ruim, fizeram e marcaram...por isso, nunca devem ser esquecidos, são aprendizados que levamos conosco e que merecem ficar guardados na caixinha de recordações.
Então, Mô...valeu pela criação!!!...rs

Adorável Sedutora*

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Ex-Amor

Composição: Martinho da Vila
Ex-amor
Gostaria que tu soubesse
O quanto que eu sofri
Ao ter que me afastar de ti
Não chorei
Como um louco eu até sorri
Mas no fundo só eu sei
Das angústias que senti
Sempre sonhamos
Com o mais eterno amor
Infelizmente
Eu lamento mas não deu
Nos desgastamos
Transformando tudo em dor
Mas mesmo assim
Eu acredito que valeu
Quando a saudade bate forte
É envolvente
Eu me possuo
E é na tua intenção
Com a minha cuca
Naqueles momentos quentes
Em que se acelerava meu coração

*Sim, nós seremos amigos, não há como fugir da realidade que vivemos, das coisas que conhecemos um do outro, do gostar e do odiar, da voz cujo timbre denota felicidade, ira, ou tristeza. Seremos sim, sempre amigos, porque vivemos coisas que muitos amigos vivem com tamanha intensidade digna de registro.
Mas seremos principalmente sempre amigos porque deixamos o tempo das oportunidades passar, deixamos o momento de ficar juntos ir embora, ou por puro egoísmo ou por sermos sem noção, novos demais para tomar decisões que se fizessem valer para sempre...
Nesse caso, ninguém teve culpa.
A vida segue em frente. Não há mais perguntas a se fazer....

domingo, 5 de dezembro de 2010

A escova de dente


Por Borboleta Traiçoeira
O começo de uma relação pode ser algo bem engraçado, romântico, divertido e outras coisas. Mas assim como o começo vem depois a conseqüência. Você começa a ver o defeito do outro e também começa a admirar outras qualidades não vistas o primeiro dia. Você começa a ter medo de algumas coisas. E o meu medo é maior ainda, pois passei um bom tempo sendo uma solteira convicta.
Pois é. A história é a seguinte: um dia você fica com o amado. Noutro você passa o final de semana com ele. Outra etapa é quando vocês vão ao supermercado juntos e pra me assustar ainda mais é quando você menos espera vem a primeira escova de dente. Ou seja, o amado está deixando um espaço não somente na pia do banheiro, mas está dando abertura na sua vida. É um medinho gostoso. Tá bom, confesso que sou frouxa pra caramba. E daí? Meu medo é do tempo ir depressa demais. Mas se você caro(a) leitor(a) pensa que parou na escova de dente se enganou. Junto no pacote do supermercado, o amado coloca as frutas que você gosta, seu suco preferido e em seguida compra também roupa de cama nova. Nada como uma compra após a outra. Ainda mais pra mim que sou consumista compulsiva.
É minha gente, já deu para perceber que estou no começo. Espero que não tenha desfecho ainda. Espero continuação. Cada um se adequando da melhor forma com a rotina do outro.
Vem a arte da paciência. A arte do diálogo. E o que não pode faltar é a compreensão.
Estou exercitando essas coisas aos poucos.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Espumas ao Vento

Uma homenagem ao momento vivido...
Pedaços do Show Cantigas de Amigo com Silvio Carneiro e Yan Fernando
Espumas ao Vento - Fagner

Sei que ai dentro ainda mora um pedacinho de mim
Um grande amor não se acaba assim
Feito espumas ao vento
Não é coisa de momento, raiva passageira
Mania que dá e passa, feito brincadeira
O amor deixa marcas que não dá pra apagar
Sei que errei tô aqui pra te pedir perdão
Cabeça doida, coração na mão
Desejo pegando fogo
E sem saber direito a hora e o que fazer
Eu não encontro uma palavra para te dizer
Ah! se eu fosse você eu voltava pra mim de novo
E de uma coisa fique certa, amor
A porta vai estar sempre aberta, amor
O meu olhar vai dar uma festa, amor
Na hora que você chegar
Sei que errei tô aqui pra te pedir perdão
Cabeça doida, coração na mão
Desejo pegando fogo
E sem saber direito a hora e o que fazer
Eu não encontro uma palavra só pra te dizer
Ah! se eu fosse você eu voltava pra mim de novo

domingo, 28 de novembro de 2010

SHOW “CANTIGA DE AMIGOS” COM SILVIO CARNEIRO E YAN FERNANDO RESGATA MÚSICA BRASILEIRA DE RAÍZ

Silvio Carneiro e Yan Fernando encontram-se no Sesc Centro na próxima terça-feira, 30 de novembro, no show Cantiga de Amigos onde interpretam canções consagradas no disco Cantoria 1, gravado em 1984 na Bahia. O show faz parte do Projeto Botequim e traz para o palco músicas de Elomar, Geraldo Azevedo, Xangai e Vital Farias que retratam a vida sertaneja cantada por autênticos nordestinos que traduzem o sertão brasileiro como poucos no show que deu origem ao disco. O sucesso do primeiro lançamento  os levou  de volta aos palcos para gravar o Cantoria 2, em 1988.

Os músicos- Os dois artistas comungam da mesma paixão por músicas brasileiras e a diferença de idade não impediu as afinidades. Silvio Carneiro tem 33 anos, nasceu na Paraíba é jornalista e chegou no Amapá em 2005. Tem a música como companhia desde a infância, cresceu ouvindo de clássicos eruditos a populares e aprendeu violão com amigos. Fã de Raul Seixas, deixou que o rock entrasse em seu repertório na sua passagem pelo movimento estudantil. Integrou bandas de rock ainda no nordeste, mas a tendência pelo estilo progressista de Raul e Zé Ramalho levou Silvio para as rodadas de violão entre amigos acadêmicos onde fazia imitações de seus ídolos. Além de excelente intérprete, Silvio compõe e depois de alguns anos dedicado ao jornalismo, retornou em 2010 à música com o show “Raul Seixas-21 Anos Sem Luar”. Logo após apresentou no Sesc o “Nordeste Independente” e no Complexo Araxá, “As Aventuras do Maluco Beleza no Reino de Avohai”.       

Yan Fernando é um jovem amapaense de 19 anos que descobriu muito cedo a música. Assim como Silvio, Yan cresceu escutando músicas de artistas consagrados e se aventurou primeiro na percussão em festas particulares e ampliou esse conhecimento nas baterias de diversas escolas de samba no Amapá. Yan tenta unir o talento nato ao conhecimento acadêmico. Aos 8 anos entrou na Escola de Música Walkíria Lima mas o tempo dispensado com teorias não estava nos planos do garoto que já queria tocar instrumento. Desistiu, mas ao completar 15 anos retornou à Escola de Música onde decidiu se aperfeiçoar de fato em música estudando violão erudito. Aluno de Beto Oscar, Fabinho Costa e André Pantoja, Yan atuou como tenor na Orquestra Oscar Santos durante dois anos e participou de vários recitais da escola de música. Suas influências musicais vão de Villa Lobos à Paulinho Nogueira, Elomar, Chico Buaque, Belchior, Turíbio Santos e muitos outros. Em 2010 foi convidado por jovens artistas amapaenses para participação em shows, como a exemplo de Rebeca Braga e o próprio Silvio Carneiro.

O Show- Em Cantiga de Amigos a dupla vai interpretar músicas como Sete Cantigas Para Voar, Kukukaya, Ai Que Saudade D’ocê, ABC do Preguiçoso, Saga da Amazônia, Moça Bonita, Arrumação e outras que não fazem parte do repertório do disco, como as de autoria de Renato Teixeira, Almir Sater e Paulinho Pedra Azul. “Podemos definir este show como um resgate da música brasileiríssima de raiz”, fala Silvio.

obs: em anexo fotos dos músicos

SERVIÇO:

Show Cantiga de Amigos

Data: 30 de novembro

Local: Sesc Centro

Hora: 22:00

Entrada franca



Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação
Mais informações: 8116-6687

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

DAR OU FAZER AMOR? (Luiz Fernando Veríssimo)

Dar não é fazer amor. Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete!
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...
Te chama de nomes que eu não escreveria...
Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar....
Sem querer apresentar pra mãe...
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
Te amolece o gingado...
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o
primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:
'Que que cê acha amor?'.
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...

Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão, relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar.
Experimente ser amado...'

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Indicação...



Mais uma vez o 'Mapleise Lifes' foi lincado, sugerido e muito bem indicado como leitura.
O mimo "Tu blog es como una flor en primavera" veio da Lianah Himura (http://cantodalianah.blogspot.com/), fofa, fofa e mais fofa, cujo blog também é uma ótima indicação de leitura para os amantes de blogs...
Para tanto, existem regras que devemos respeitar, e como o Mapleise tem duas donas, lá vamos nós.

Os blogs indicados por nós duas são
http://oscontosdeglorinha.blogspot.com/
http://naianeirene.blogspot.com/
http://avidefoda.wordpress.com/
http://mascredo.blogspot.com/
http://eguanao.blogspot.com/
http://eltonvaletavares.blogspot.com/
http://pedradeclariana.blogspot.com/
http://bombeirosstn.blogspot.com/
http://irinaramoss.blogspot.com/
http://canetasemfronteira.blogspot.com/

Agora, dez coisas que adoramos/amamos:
por Borboleta Traiçoeira:
- Família
- Amigos
-Comer
- Dormir
- Dançar
- Escutar música
- flertar
- Cerveja
- De olhar para as mãos dos meninos
- Passear na orla

por Adorável Sedutora*
- amo minha família
- amo minha filha (é família mas o amor é tão grande que parece ultrapassar o anterior)
- meu eterno gatinho (o único que não me causa asco)
- meus amigos (Ale, Jane, Loira, Well e RP - não necessariamente nessa ordem)
- Denzel Washignton ...esse preto é o must!
- a orla de Macapá
- estar no avião (não significa q eu viaje o tempo todo)
- ser/estar professora (coisa de louco isso!)
- sentir saudades (aprendendo aos poucos)
- sair, dançar e o que rolar (idem a não necessariamente nessa ordem)

Obrigadex Lianah

sábado, 13 de novembro de 2010

A história do tal kit sexo das mapleises.


Por O"Malley...
Há quase três meses eu havia ganhado um “kit sexo” das amigas Mapleises. No embrulho havia uma cueca comestível no sabor morango e óleos corporais. Tudo muito meigo, mas que a principio me deixou sem graça, afinal era o meu primeiro kit! Acreditem: nunca fui a um sexy shop! Mas, esse é assunto para outro post, pois este é sobre a minha transa com o tal kit das Mapleises.
A desculpa foi: “- Gata! Não irei à pizzaria com você, mas você poderá vir até minha casa para ver filme comigo e meus primos e primas!”. A gata topou na hora, não sei se ela já estava mal intencionada. Ao chegar à minha casa, comprou pizza e coca-cola. Fato este que conquistou em cheio minha prima e o namorado dela...rsrs..fáceis de se comprar né?!
Após dois filmes, isso já lá pelas três horas da manhã, chamei a dita cuja para ir até meu quarto [só o pretexto...rs]. Papo vai... Papo vem... E eis que toco no presente... o tal kit! Daí desembrulhei o pacote. Com cuidado, pedi para que ela me ajudasse a tirar a cueca do embrulho. Com a cueca em cima da cama, ela virou de costas e eu tentei vestir a tal cueca. O caso é que a vestimenta não coube em mim! Ficou pequena. Meu queridíssimo “amigão” se esforçava para ficar encaixado. Coisa quase que impossível, pois ele estava meia-bomba, quase duraço! A cueca mais parecia um fio dental, daí desisti de vesti-la!
Homem é puro instinto animal. Comigo não poderia ser exceção! Com a tal cueca meia que dependurada em minha cintura, me atirei em cima dela, partindo para o tudo ou nada.
Com a cara de pau e de lobo mau, pedi para que a gatinha lambesse a tal cueca sabor morango. Ela obedeceu de pronto!... Com um sorriso largo e faceiro no rosto começou a dar o banho de gato. Ohh banho! As mordiscadas foram inevitáveis. Os óleos deram mais agilidade ao processo sexual. Tudo correu na mais perfeita sincronia de vais e vens. Confesso que nem metade da tal cueca foi comida. Em compensação a transa foi mágica!!! Eu degustei a gatinha e depois ela sumiu!!!! Incrível e otimamente bom! Nada melhor do que uma transa sem compromisso e depois cada um pro seu canto! Você que esta lendo este post pode até discordar desse meu jeito de ser. Estou numa fase safada. Pelo menos estou tentando ser um homem safado, cansei de sério! Afinal, pra que levar a vida tão a sério se nós nascemos de uma gozada?!!!
P.S.: Dos três corações de óleos corporais ganhos, restou apenas um! Espero utilizá-lo em breve.

Nota da dona do blog: é isso aí querido O"Malley. Mesmo com o sexo desajeitado, mais a melhor coisa é se desinibir. Viva cada momento como se fosse o único. E na próxima vez vou comprar o tamanho G. rsrsrsr 
Borboleta Traiçoeiro.

Tem certas coisas que não sai da nossa cabeça

Bom, com o passar do tempo e com o acúmulo de informações do dia-dia nas nossas cabeças, com essa nota abaixo, poderemos  ver que as boas lembranças sempre prevalecem. E você, diga qual é a boa lembrança de hoje?

RECORDAR É VIVER !

Foto tirada em Senior Center em Boca Raton, Flórida, EEUU.
O curso era "Como prevenir o Alzheimer".
O projeto do dia era: Mantenha sua cabeça trabalhando.
Tente criar alguma coisa através da memória.
Faça algo que lhe traga boas lembranças !!!!!!!!!

 

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

No twitter

-O amor não educa, mas muda nosso ponto de vista. Um mal-educado torna-se apenas desajeitado.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Homens que eu namoraria

Meninas...só para vocês ficaram com água na boca. Mas aviso: SÃO MEUS. Tira o olho tá?

sábado, 6 de novembro de 2010

Moreno e o xote


Por Borboleta Traiçoeira
Como é de praxe, toda sexta-feira eu e Adorável Sedutora saímos pra bater nossos asinhas para um lugar onde mexemos os esqueletos. Afirmo: somos fiel, não trocamos o nosso lugarzinho por nada. É assim lá, deixa explicar: Cerveja gelada, forró, xote, sertanejo, brega, arrocha e outros ritmos. E lá nos esbaldamos. Fizemos amigos. Tivemos uns ex-amores. O engraçado de tudo que eles somem depois do termino da relação. Homens vão entendê-los. Mas isso não intimida da nossa trajetória de sexta. Vamos. Comparecemos. Dançamos. Rimos.
E por esses caminhos conhecemos muitas pessoas bem interessantes e desinteressantes também. Mas ontem, a música me fez dançar com um moreno tímido. Mas dancei. O bichinho até ficou molhado de tanto suor. Sei que dou uma canseira na dança. Ele seguiu firme nos poucos passos que sabia.   Então, hoje acordei com essa música. Está aí para você se deliciar.

Nosso Xote - Planta e Raiz
Composição: Janaina Pereira
Moreno me convidou para dançar um xote
Beijou o meu cabelo cheirou meu cangote
Fez meu corpo inteiro se arrepiar
Fiquei sem jeito e ele me acolheu junto ao peito
E foi nos braços deste moreno
Que eu forrozeei até o dia clarear
Oi oi oi oi oi oi
Me encantei por seu olhar
Moreno, chega mais pra cá
Meu dengo, vem me chamegar...
Oi oi oi oi oi oi
Teu jeito de balancear
O corpo inteiro
Faz meu coração bater ligeiro
Assim eu vou me apaixonar

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A borboleta e o cãozinho

Por Borboleta Traiçoeira
Após quase 9 meses resolvi ter coragem, resolvi abrir meu coração. Lógico que não foi como eu esperava e nem como eu queria. Mas dei à cara a tapa. Levei. Cair. Levantei. Um dia eu ficarei novinha em folha novamente, com novo olhar sobre relacionamentos e com novos horizontes.
Qual foi a ação do receptor com essa minha subida fraqueza humana? Respondo à vocês: Surpreso, mas novamente indiferente. Foram tantas as perguntas. Tipo:

1-Como isso aconteceu? Quando?

Resposta – Não sei explicar (na verdade tinha outra pergunta em mente, pois quando essas coisas acontece não tem explicação:
2-É culpa minha?
Resposta – Essas coisas ninguém tem culpa (Pura mentira, você tem culpa por não me magoar, pois seria um bom motivo pra te odiar)
3- Mas você? Pensei que era imune a isso?
Resposta mental – ta pensando o que? Que sou o robocop? O Coração Gelado? Sou gente porra também.
4 – Mas por quê você me disse isso agora?
Resposta- Não sei, mas tentei outras vezes e não consegui. (Porque você não leu nas entrelinhas?)
Minhas Perguntas
Se eu te contasse antes o quanto eu sou apaixonada, mudaria alguma coisa?
Mudou alguma coisa agora?

Minhas observações: Desde 2007 não sinto isso. Essa coisa de paixão. Aí você me aparece. Com um sorriso, com um papo gostoso. Toca minha mão, meu coração acelera. Me beija. Some. Afinal não assinamos contratos de exclusividades. E no dia em que você diz pra eu falar, eu falo. Tá certo que to sensível com as coisas que acontece na minha vida. Que choro por coisas bobas. Mas nesse dia estava sensível e de TPM. Nesse dia queria colo. Você pediu a verdade e eu te dei a verdade. E daí? O que muda?

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Antropocentrismo

Tem certos homens que se acham o centro do mundo, que bate e rebolam pensando que a vida é toda vivida (me permitam o uso do eufemismo) com base no que ele pensa, diz e faz. Afff, me poupe.
A vida tem seus períodos, o período de plantar, o de cuidar, o de crescer e, finalmente o de regar, de colher. Enfim, quando filnalmente a coisa cuidada, está pronta para viver, para caminhar sozinha. Basicamente é assim que vemos os relacionamentos humanos, eles nascem, crescem, se reproduzem quando as pessoas se amam ou se gostam, quando elas notam que aquele caso vai dar certo, que de caso vai virar fato, e não acaso. Dessa evolução...
Com o tempo, muitos de nós esquecemos disso, e utilizando do nosso egoísmo supremo, nos enrolamos no véu da cegueira e batemos o pé no chão pensando que a pessoa querida que nos fazia companhia nas noites de lua ou de sol vai continuar com o mesmo sentimento para conosco. Que vai continuar aceitando nossos erros - aqueles sempre apontados por ela, aceitando nossas faltas - aquelas que concordamos estar erradas...
Not, a vida não é assim...em um relacionamento damos o tempo para cada coisa se adaptar, os meus defeitos com os teus defeitos, o meu gostar com o teu gostar. Vivem dizendo que os opostos se atraem, e é por isso que as pessoas se gostam? Porque elas são diferentes? Vivem dizendo que essas diferenças devem ser aceitas para que os corpos finalmente consigam se entrelaçar de forma que, no final tudo fica igual.
Mas não é bem assim. No antropocentrismo, a raça humana - diga-se homem, porque aqui não estou levando para a etimologia concreta do termo -, acha, pensa e age como se somente ele tivesse o poder da decisão e da situação...não é o casal quem opina, é o macho.
A ideia da hegemonia permanece, e quando você se cansa da mesmice de sempre, e bate o pé dizendo chega, ele não aceita. Ultimamente, tenho ouvido as frases mais absurdas, algo do tipo só eu te faço feliz, ninguém te ama como eu te amo, etc..., mas as atitudes esdrúxulas continuam sendo cometidas.
Engraçado, quando tudo vira passado é que as pessoas vão cair em si para dar valor aquilo que está fazendo falta...quando deveria fazer falta não fazia, e agora que a gente se acostuma a viver só novamente, a curtir a solteirisse desejada, surgem essas novidades...
Adorável SedutorA*

A maré não está para Aquário

Definitivamente esse periodozinho não é meu. Quando penso que tudo está bem, tudo está calmo, tudo dentro "dos conformes" acontece alguma coisa para me irritar. E não é nada relacionado a grana, dívida ou pagamento, muito pelo contrário...mexe com a minha vida afetiva.
Quando mais nova sempre fui uma pessoa inquieta, até ai tudo bem...faz parte da pré-adolescência, adolescência e entrada para a vida adulta. Você quer tudo e quer nada ao mesmo tempo, quer conhecer as coisas, as bocas, as pessoas, quer saber se o mais caro é bom mesmo, ou é frescura dessa sociedade consumista...
Mas agora não, agora já consigo relaxar, sair uma noite e olhar para alguém por pura curiosidade ou prazer de dizer que a pessoa é interessante e nada mais...massss, mas ai vem o conflito. Agora que sei dizer NÃO para tudo e para todos, agora que sei realmente o que quero e o que não quero, me sinto como na adolescência, no momento da indecisão...do voyerismo e não é assim que tem que ser.
Você passa um mundo da sua vida aprendendo que algumas pessoas são importantes na sua vida, e que devido a tal fato elas não devem se perder no teu tempo de vida, devem continuar ali sendo cuidadas e tratadas muito bem...você se organiza para sair tudo direitinho, pensa mais nos sentimentos delas do que nos seus, pensa que dói em você mas que você já supera essas dores, muito diferente dos outros que estão na fase do APRENDER a aprender....
E ai o que acontece? o APRENDER a aprender não chega na pessoa que você conhece, o que parece de verdade é que ela estancou num tempo em que te conheceu, pensando que por ela ter estancando você tem que estancar também ou para salvá-la ou para emperrar ali com ela. Os sentimentos continuam fortes, intensos, gostosos como sempre, mas a pessoa está lá parada nas lembranças de um passado que teve que ser vivido por circunstâncias muito superiores ao que as duas pessoas queriam...
Engraçado dizermos que PASSADO é PASSADO e ao mesmo tempo não conseguirmos nos divencilhar-mos dele, ficamos com o pé fincados no passado que te trouxe algumas experiências, mas ao que parece nunca vais conseguir te livrar dele.
E o que fazer então?
Eu sei o que você deveria fazer, mas não posso fazer isso pelos outros, só por mim...afinal, para que existe o livre arbítrio?
Pra que existe a tomada de decisões se tu não sabes tomar as tuas? Se vives com a cabeça plantada em outro ser insignificante que sempre te deu tudo o que tu achavas que querias, mas que só fora encontrado em mim??
Uma pseudo vida não vale...ou é real, ou não...
Adorável SedutorA*

domingo, 31 de outubro de 2010

Samba

"É que o samba chegou agora, é que o samba chegou agora..."

Ando tendo (excesso de uso do gerundismo, proposital) sessões de flashback com relação ao samba.
Vontade de ouvir aquele samba - o samba de verdade, samba de gafieira, samba da velha guarda, aquele não te estraga, que não te polui...
O samba sensual...
Mas é só vontade mesmo, já que a Portela, Vila, Mangueira ou Nilópolis ficam apenas quatro horas de distância - via aérea - desta terra tucuju.
Adorável Sedutora*

A chuva

Vendo a chuva cair assim gota por gota, e todas elas juntas, eu penso no meu gostar das pessoas.
Ele é assim mesmo, chega rápido e separado, e com a mesma intensidade para molhar teu corpo todo, as coisas todas...
É auto-explicativo.
Se chove todo dia, eu enjoo.
Se faz sol todo dia, eu enjoo.
Mas o todo dia existe.
Adorável SedutorA*

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O medo


É engraçado o modo de como entramos e saímos na vida das pessoas. Assim foi o meu namoro de uma semana. Narrarei à história e espero que vocês não me julguem por minhas atitudes (Tá bom. Pode julgar sim!).
Bom, conheci o bofe, ops, o cowboy em uma festa. Já tinha visto ele por lá, pois tinha chamado a atenção o jeito que ele dança. Até mandei um recadinho, através do garçom, pedindo para o peão dançar com a moiçola aqui. Pedido não atendido. Pensei! Tá se fazendo de cú doce. Então deixei pra lá. Passaram outros finais de semana e sempre via o dito cujo por lá, até que um dia, enfim, ele me chamou pra dançar. E no balanço do som, e um passo pra lá e dois prá cá, cai na tentação e fiquei com o bofe.
Até aí tudo bem. Saímos eu e Adorável Sedutora, demos carona ao cowboy e seguimos as nossas vidas. Mas, ao amanhecer, exatamente as 7:30 da manhã, o “bonitinho” me liga. Depois foi as 11:30 e ligou novamente as 22:00.
Já me assustei... Só foram uns beijinhos. No dia seguinte, o “privilégio” resolveu me visitar. E lá estava eu com uma reunião entre amigos. Todos ficaram encantados com ele, ops, quase todos, menos eu.
Bem que eu queria me encantar, afinal, ele é bastante atencioso. Nisso seguimos quase uma semana. Mas a certas liberdades que tem que ser evitadas. Num sábado, cansada e exausta de tanto trabalhar, nada mais justo do que curtir de baixo do edredom uns filminhos. O peão ligou, perguntou se eu queria sair e respondi que não e contei o motivo. Até aí tudo bem. Depois ligou novamente. Perguntou novamente. E respondi novamente. Porém não satisfeito resolveu ligar a noite toda até as 05:30 da madrugada. Gente! Eu posso com isso?
A pessoa não compreende que sou solteira convicta. Esse grude todo me assusta. Vá com calma. Não é assim. Essa é a primeira lição do que não se deve fazer no início do relacionamento.  
Sei que vocês devem está se perguntando: quem é o macho dessa história? Juro que sou mulher, mas tem certas coisas que me incomodam, se a pessoa me liga no início de tererê mais de 10 vezes durante a madrugada, imagina quando fizer o tempo de 1 ano. Aja paciência.
O que eu aprendi? Mais um ex contabilizando na minha cartilha.

Por Borboleta Traiçoeira

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Ambiente, conversa e noite


Fim de semana antes da merda da Lei Seca foi bem divertido. Quinta-feira, na minha saga com a Mapleise. De primeira fomos a um barzinho que freqüentamos há uns três anos. Antes de ir, fiz um comentário pra ela que precisamos mudar de ambiente. Sugerir estádio de Futebol, quartel, barzinho que só passa jogos, ou seja, lugar que tenha muita testosterona. Mas mesmo assim, fui bater o ponto no barzinho que citei. Chegando lá, outro comentário infeliz eu fiz: Aqui já foi melhor freqüentado. Explicando melhor, já muito feliz naquele lugar. Mas com o passar do tempo, o lugar se tornou em um ambiente GLS. Nada contra, mas não é num ambiente desses que vou achar o que procuro na noite.
E, finalmente a Mapleise concordou comigo. Depois de dois baldes de cerveja, e muita conversa com o nosso amigo cantor Mário, resolvemos ver como está a noite da cidade em outros lugares.
O engraçado como as noites de Macapá estão se tornando tão previsíveis pra mim. Posso diagnosticar em cada bar, boate, ou pubzinho as carinhas que vou encontrar. Sei quem são os freqüentadores. Isso é chocante mais é a realidade. Por isso que nos últimos tempos tenho uma vontade enorme de viajar, tudo em prol para ver gente diferente. Outra conversa, outra história.
Macapá em época de política se torna restrita as conversas. A coisa anda chata. Mas sempre busquei de certa forma mudar de assunto.
Sempre busquei admirar a beleza noturna. O quanto ela me atrai. Nada de cafonice. É apenas mania.
Já bastam as poucas opções que temos em nosso estado, as pessoas daqui estão se resumindo em conversas medíocres. Lógico que sempre tem as exceções e agradeço a Deus quando encontro uma raridade dessas.
Mas não é só em barzinhos que essas conversinhas rolam. O twitter também, pois virou palco de baixaria.
O que proponho? Vamos falar de sexo, amor, traição, da novela das oito e o quanto a Irene Ravache é divertida interpretando uma perua. Vamos falar daquela música que toca as nossas almas. Vamos conquistar as noites com conversas conquistadoras. Deixe a noite te seduzir, fale coisas suaves ou bem sacanas. Fale tudo, menos coisas cretinas. Afinal, o meu ouvido agradece. 

Por Borboleta Traiçoeira.

domingo, 17 de outubro de 2010

Desabafo de uma mulher madura

 Quando menina esperava um dia ter um namorado... seria bom se fosse alegre e amigo...
 Quando tinha 18 anos, encontrei esse garoto e namoramos; ele era meu amigo, mas não tinha paixão por mim. Então percebi que precisava de um homem apaixonado, com vontade de viver, que se emocionasse...
 Na faculdade saía com um cara apaixonado, mas era emocional demais. Tudo era terrível, era o rei dos problemas, chorava o tempo todo e ameaçava suicidar-se. Descobri então, que precisava de um rapaz estável.
Quando tinha 25 anos encontrei um homem bem estável, sabia o que queria da vida; mas era muito chato: queria sempre as mesmas coisas - dormir no mesmo lado da cama, feira no sábado e cinema no domingo. Era totalmente previsível e nunca nada o excitava. A vida tornou-se tão monótona que decidi que precisava de um homem mais excitante.
Aos 30, encontrei um tudo de bom, brilhante, bonito, falante e excitante, mas não consegui acompanhá-lo. Ele ia de um lado para o outro, sem se deter em lugar nenhum. Fazia coisas impetuosas, paquerava com qualquer uma e me fez sentir tão miserável, quanto feliz. No começo foi divertido e eletrizante, mas sem futuro. Decidi buscar um homem com alguma ambição para com ele construir uma vida segura. Procurei bastante, incansavelmente...
Quando cheguei nos 35, encontrei um homem inteligente, ambicioso e com os pés no chão. Apartamento próprio, casa na praia, carro importado....solteiro e sem rolos! Pensei logo em casar com ele. Mas era tão ambicioso que metrocou por uma herdeira...
Hoje, depois de tudo isso,  aos 40 anos, gosto de homens com pinto duro...E só!
Nada como a simplicidade...


Ainda não cheguei aos 40, mas também não me falta muito para estar lá...rs
Mas é interessante as comparações que podemos fazer ao longo da nossa vida quando se trata de homens e relacionamentos...a sequência pode não seguir exata, mas que a maioria das vezes eles se mostram caracteristicamente e da mesma forma que agora, se mostram sim...
Dá vontade de rir, mas no final, quando notamos que é impossível conseguir o pacote completo é melhor optar pelo pinto duro, pelo menos ele te dá uma alegriazinha...
Adorável SedutorA*





sábado, 16 de outubro de 2010

Frases de Rodeio

Após algumas experiências com cowboys, resolvi fazer uma homenagem com as frases de rodeio mais engraçadas. 

SE BEIJO DESSE SAPINHO, MINHA BOCA ERA UMA LAGOA. NÃO PERDÔO A MOCINHA, MUITO MENOS A COROA

 SE MULHER FOSSE DINHEIRO , EU SAIA PEDINDO ESMOLA, SE CHOVESSE MULHER EU ARRANCAVA O TELHADO FORA. A LOIRA ME DEIXOU E A MORENA FOI EMBORA, SÓ ME RESTOU NESTA VIDA RODEIO CACHAÇA E VIOLA.

A MULHER TOCA O PEÃO, O PEÃO TOCA BOIADA, A BOIADA TOCA O RODEIO DESSA GENTE APAIXONADA.

Hôôô mulher, vem ser a azeitona da minha empada, casando comigo você nunca pega na enxada, só que vai ter que fazer amor de manhã até a madrugada.

Tem três coisas na vida que meu coração odeia: cerveja quente, boi doente, e mulher da gente. Também tem três coisas que meu coração palpita: cerveja gelada, boi na envernada, e mulher pelada. Seguuuuuuuuuraaaa Peãããoooo!!!!!!!!

Eu sou a borboleta que voa contra o vento, quem eu amo não me ama, quem me ama perde tempo.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Mineiro é foda

Uma homenagem a quem gosta de mineiros...rs

A garota vai à primeira festa de sua vida e, com medo dos avanços dos rapazes, pede conselho à mãe:
- Se os rapazes começarem a insistir muito, minha filha, pergunta que nome eles vão dar à criança. Isso vai fazer com que eles desistam.
Assim foi. No meio de uma dança um paulista diz:
- Vamos para o jardim atrás da piscina, mina?
Ela vai, mas quando o moço quer avançar ela pergunta:
- Que nome vamos dar à criança?
O paulista olha-a com surpresa, diz que esqueceu a carteira no bar e sai de fininho.
Uma hora mais tarde repete-se a cena com um paranaense. Igualzinho, quando ela pergunta qual será o nome do filho, ele fica de pés frios e vai-se embora.
Mais tarde, chega um mineiro, vai com ela para o jardim, começa com beijinho aqui, beijinho ali, apalpa-lhe o peito e ela pergunta:
- Que nome vamos dar à criança?
Ele continua e abre o vestido dela.
- Que nome vamos dar à criança?
Ele pega nos seios.
- Que nooome vaaamos dar à criança?
Ele tira o vestido dela e a sua calcinha.
- Que noooome… ahhh … vaaaaaaaamos daaar… ahhhh… à criança?
…Ahhhhhh…Ahhhhhhhhhhhh…
Queeee noooooome vaaaaaaamos…..não
pára..daaaaaaaar…..vai.vai………vaiiiiiiiiiiii
iiiiiiiiii…… àaaaaaaaaaaah criaaaaaaaança????
Depois de acabarem, ela pergunta mais uma vez:
- E agora, qual vai ser o nome do nosso filho?
Ele, triunfante, tira devagar o preservativo, levanta para o alto, dá um nó firme e diz :
- Se ele conseguir sair daqui, vai se chamar “Magaiver”!!!!!
Adorável SedutorA*