terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Morrer de Viver...

Hoje eu (re) nasci
Voltei a sonhar
Viver sem "morrer"
"Morrer" de viver

Hoje me (re) descobri
Vejo que o mundo me sorri
Que tanto sofri
E pouco vivi

Hoje o universo me abre as portas
Ou será eu quem as abro?
Sim, sou eu
Que abre os olhos
O coração
A alma, e essa
Me transporta à porta
Do não à solidão.

(Mô Garcia)

- O poema da Mô, foi retirado de um blog cuja dona se chama Mô, rs...claro!!!(tô enrolando porque não encontrei o endereço de onde retirei ele para falar mais sobre ela), mas o interessante dele é que num desses meus passeios por blogs que falam...expressam...criam e mostram poesias, achei esse aí, meio que me mostrando como eu vivia num passado tão próximo ainda...
Ai reolvi trazê-lo pra cá, porque afinal, nossa vida sempre tem acontecimentos que mesmo ruim, fizeram e marcaram...por isso, nunca devem ser esquecidos, são aprendizados que levamos conosco e que merecem ficar guardados na caixinha de recordações.
Então, Mô...valeu pela criação!!!...rs

Adorável Sedutora*

Um comentário:

Anderson Calandrini disse...

tem alguns selos pra você no http://idealismomental.blogspot.com/2010/12/chuva-de-selos.html