segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Essa paixão!!


“Já não sei dizer
Se ainda sei sentir
O meu coração já não me pertence
Já não quer mais
Me obedecer...
(...)
Me sinto tão só
E dizem que a solidão
Até que me faz bem...”
       Maurício, por Renato Russo.

Engraçado essa coisa do amar alguém, gostar de alguém tanto e a tal ponto, que no terceiro encontro você já carrega o pensamento de jamais dizer adeus! Tenho me sentindo assim, totalmente entregue a essa paixão que tem me feito feliz, me feito mulher...
Você recita Vinícius e o seu Soneto da Fidelidade, e fica achando que o relacionamento vai ser sempre “só Love” o resto dos seus dias. E até poderia ser, mas o amante sempre esquece das diferenças do seu preferido, aquelas mesmas diferenças que marcaram esse desejo que arrebatou esse casal.
O modo de pensar, as coisas que se aprecia e o outro não, e acima de tudo o respeito, a cumplicidade, o carinho... E aí, os dias vão passando, os laços, as carícias, os beijos, tudo vai se transformando. Aos fadados ao fracasso, isso diminui...aos que querem descobrir mais, provar mais, querem mais...as trocas continuam!
E você, aquela pessoa totalmente liberada e acostumada a ser só com seus sentimentos, ultrapassa limites que deveriam ser respeitados, os seus e os dele. Graças a isso, você aprende a fazer tabuada e começa a somar dias de ausência,mensagens cujo encanto e sabor perdem por um tempo aquele romantismo que ele tem você...
E agora? Agora estamos assim, feito dois desconhecidos, rs...tentando se redescobrir. E nessa tentativa, me vejo aqui, louca para te agarrar.
E você...você ai, bem distante de mim.
Mas não é o fim, e nem a conversa que ainda teremos que ter...

Adorável Sedutora*

2 comentários:

Alessandra Lameira disse...

Me lembrei de um refrão de uma música: "Este amor. Me envenena. Mas todo amor. Sempre vale a pena", de Alcione. Isso mesmo, amor bom é amor vivido. Depois disso, são só restos.

Ivane disse...

Quero passar um tempo só vivendo então...rs